quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

FIM DO MUNDO? NÃO!

EDITORIAL


"[...]os adeptos sinceros do Espiritismo não se devem deixar influenciar pelo moderno terrorismo de natureza mediúnica, encarregado de amedrontar, quando o objetivo máximo da Doutrina é libertar os seus adeptos, a fim de os tornar felizes.[...]" (*)

Com grave preocupação, acompanhamos a repercussão, na mídia, das mais diversas versões desse suposto “fim do mundo” para o dia 21 de dezembro de 2012.

Tão logo esse tema passou a ser considerado mais amplamente pelos leitores e leitoras dos mais diversos veículos de comunicação, procuramos nos posicionar sobre o assunto.

Os textos que postamos a esse respeito estão reunidos no ‘marcador’Transição Planetária (coluna fixa, lado direito).

Neles está contida a essência do nosso posicionamento, ou seja, o que pensamos dessa temática, cuja fundamentação encontra-se, principalmente, na Codificação Kardequiana, não se tratando, portanto, de meras ilações de nossa parte.

Preocupa-nos, também, as temíveis consequências que podem acarretar toda essa divagação (é essa mesma a palavra) em torno de um assunto, que, não podendo se considerado complexo, já que claramente explicado pela Doutrina Espírita, deve ser classificado como delicado, pois que mexe, não apenas com o imaginário das pessoas, mas também com a parte mais sensível do ser humano: o medo, o pânico!

E isso se agrava, na medida em que se aproveita a ocasião para se explorar, com franca negligência, a infeliz desinformação, a descrença em Deus e o fanatismo daqueles que, "tendo ouvidos de ouvir, não ouvem” e "tendo olhos de ver, não veem”.

Deus, Inteligência Suprema, Criador de todas as coisas, jamais haveria de derrogar suas leis, fulminando, num átimo e inexplicavelmente, uma humanidade inteira, um planeta, um sistema ou o que fosse de Sua Obra. Ou não seria Deus!

Em vista disso, reafirmamos, neste Editorial, a nossa crença, a nossa fé e a nossa plena convicção na Mensagem dos Espíritos Superiores contida na Terceira Revelação, a Doutrina dos Espíritos, codificada, em 1857, por Allan Kardec.

E, neste momento de tantas especulações, entregamos à profunda meditação do nosso leitor/leitora, importante mensagem do Espírito Vianna de Carvalho, intitulada “Terrorismo de Natureza Mediúnica”, recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em 7 de dezembro de 2009, durante o XVII Congresso Espírita Nacional, em Calpe, na Espanha, a qual, pela relevância, plena atualidade e natural extensão, vai postada em página especial, que pode ser acessada aqui.

Na oportunidade, formulamos sinceros votos de Paz e Luz neste Natal, e um 2013 de muito Progresso para a nossa Humanidade.
Jacaraípe – Serra – Espírito Santo - Brasil, em 19 de dezembro de 2012.
O Editor
*  *  *
(*) Da mensagem "Terrorismo de Natureza Mediúnica,
pelo Espírito Vianna de Carvalho, psicografada por Divaldo Pereira Franco.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

MOLDANDO O FUTURO



MOLDANDO O FUTURO COM AS AÇÕES DO PRESENTE

Pelo Espírito Maria Rosa

"[...] Espalha as sementes sobre o solo fecundo e acredita no milagre da vida que faz a planta desabrochar e se transformar no pão. [...]"

Que a luz Divina seja o farol a guiar a humanidade nestes dias de dor e tragédias coletivas. E que as tragédias individuais sejam minimizadas pela fé e pela confiança. E se desintegrem na alegria de viver um dia de cada vez. O passado já se foi, não poderá ser corrigido. O futuro é um enigma, não nos pertence. Pode sim ser moldado pelas ações do presente.

Por isso, faça o teu melhor, dê tudo o que tens de mais valioso em inteligência, criatividade, entusiasmo, lucidez e coragem. Entrega a cada ação estas qualidades e atributos inerentes a um guerreiro que não se abate por mais difícil que seja a luta.

Confia cada desafio ao teu coração e ao Universo. Faça a tua parte e entrega o quinhão que não depende de ti. Espalha as sementes sobre o solo fecundo e acredita no milagre da vida que faz a planta desabrochar e se transformar no pão.

A solução não está fora de ti. Está dentro dos arcabouços da tua inteligência que pode acionar os mecanismos de atração das situações, pessoas e ocasiões que trarão resposta e alívio para os teus dramas atuais. Eles passarão. Tu és eterno, eles não. Inspira-te na eternidade da tua existência, no dom da vida, teu bem mais precioso. E prossegue a caminhada com otimismo e perseverança.

A vida há de te recompensar! Continua a acalentar teus mais caros sonhos que eles se tornarão realidade na medida do teu empenho e da tua fé!
Luz e paz!
*  *  *
(Psicografia de Cristina Barude, em 01.11.12, em Salvador-BA)
Fonte: www.bahiaespirita.com.br.  Acesso em: 08/dezembro/2012.
Imagem: www.morguefile.com . Acesso em 09/dezembro/2012.
Destaques: do Blog.

domingo, 16 de dezembro de 2012

CRISTO E O LAR

Por Francisco de Assis Daher Pirola
'... É no instituto doméstico que as almas se encontram para as benesses das uniões venturosas, em tarefas de repercussão maior, atribuídas pela Bondade Divina...'

O ninho doméstico representa fecunda e promissora bênção de infinitas realizações, destacando-se como laboriosa escola de almas a espargir, nas luzes do renascimento, sucessivas oportunidades de redenção.

Enquanto o Lar com Cristo aponta sagrados deveres no campo da disciplina e da caridade, fundamentando o entendimento como ampla faculdade de progresso espiritual, a Sagrada Família traduz, soberanamente, o padrão pelo qual se deve pautar o exercício da vida familiar: 

José - a proteção e o sustento, firmados no trabalho incansável;

Maria - o desvelo, o carinho e a vigilância nos valores morais indestrutíveis;

Jesus - O Fruto Místico da obra familiar fecundado no Amor Maior.

É no instituto doméstico que as almas se encontram para as benesses das uniões venturosas, em tarefas de repercussão maior, atribuídas pela Bondade Divina.

O Lar funciona, também, como instituição reeducativa a favorecer, na justeza da Lei de Causa e Efeito, a reunião, em aprimoramento mútuo, daqueles que provocaram sofrimento ou não souberam amar.

A vida no Lar, por isso, será sempre um momento novo, para precioso resgate ou merecida sublimação, e a experiência conjugal, valiosíssimo laboratório na evolução do Espírito, onde, Amar e Honrar constituem preceitos da maior transcendência,  conjugação essa cujo fiel cumprimento somente é que poderá permitir, na aliança das almas, o voo infinito da perfeição.

Nos deveres do Lar, portanto...
“Amai-vos uns aos outros”...
* * *
Imagem: www.morguefile.com. Acesso em: 31/julho/2016.
Formatação atualizada em:31/julho/2016.

sábado, 15 de dezembro de 2012

O AMOR

Por Léon Denis
"[...] O amor é uma força inexaurível, renova-se sem cessar e enriquece ao mesmo tempo aquele que dá e aquele que recebe [...]
O amor, como comumente se entende na Terra, é um sentimento, um impulso do ser, que o leva para outro ser com o desejo de unir-se a ele. Mas, na realidade, o amor reveste formas infinitas, desde as mais vulgares até as mais sublimes. Princípio da vida universal, proporciona à alma, em suas manifestações mais elevadas e puras, a intensidade de radiação que aquece e vivifica tudo em roda de si; é por ele que ela se sente estreitamente ligada ao Poder Divino, foco ardente de toda a vida, de todo o amor.

Acima de tudo, Deus é amor. Por amor, criou os seres para associá-los às suas alegrias, à sua obra. O amor é um sacrifício; Deus hauriu nele a vida para dá-la às almas. Ao mesmo tempo que a efusão vital, elas receberiam o princípio afetivo destinado a germinar e expandir-se pela provação dos séculos, até que tenham aprendido a dar-se por sua vez, isto é, a dedicar-se, a sacrificar-se pelas outras. Com este sacrifício, em vez de se amesquinharem, mais se engrandecem, enobrecem e aproximam do Foco Supremo.

O amor é uma força inexaurível, renova-se sem cessar e enriquece ao mesmo tempo aquele que dá e aquele que recebe. É pelo amor, sol das almas, que Deus mais eficazmente atua no mundo. Por ele atrai para si todos os pobres seres retardados nos antros da paixão, os Espíritos cativos na matéria; eleva-os e arrasta-os na espiral da ascensão infinita para os esplendores da luz e da liberdade. (continua...)
*  *  *
------------------------------------------------------------------------------
Leia, ma íntegra,  este belo texto de Léon Denis, em:
-------------------------------------------------------

domingo, 9 de dezembro de 2012

ARQUITETURA DIVINA



Pelo Espírito Maria Rosa

"[...] É diante das dificuldades que provarás a tua fibra, a tua vontade de ser melhor a cada dia, de estar sintonizado com o Bem e os ensinamentos do Cristo, a maior Luz que já passou por este Planeta na experiência da carne. [...]
O que dizer das andorinhas que rasgam o céu com tanta beleza? O que dizer das flores que enfeitam os campos da vida e perfumam os visitantes? O que pensar da espuma das águas do mar que mais parecem pérolas, pedras preciosas a adornar a paisagem? Como entender a mágica que mantém os planetas suspensos no espaço, a órbita da Terra, a plenitude da lua cheia, o brilho inebriante das estrelas?

A mente humana tenta traduzir estes milagres diários através da ciência terrena, mas ainda não é capaz de explicar a ciência da espiritualidade, do Poder Supremo, da Inteligência Divina que arquitetou o átomo, a célula e colocou tudo para funcionar num sincronismo perfeito e surpreendente.

Pensa no interior do corpo humano, esta maravilhosa máquina repleta de órgãos com funções distintas e que funcionam integrados, garantindo a vida dos espíritos na experiência terrestre.  O corpo humano já guardava a alma antes mesmo que o homem tivesse consciência dele.

Portanto, irmãos, questionar sobre a existência de uma Inteligência Suprema que criou a tudo e a todos é como questionar sobre o nosso próprio existir. Sabes responder exatamente quando e como tudo começou? Se a resposta é negativa, assuma humildemente a tua condição de criatura vivenciando uma jornada terrena onde há limites.

Mas é exatamente nesta vida de matéria densa é que tens a oportunidade de ascender mais rápido na trajetória da tua evolução espiritual. Aqui onde os testes são duros e desafiadores é que encontrarás a oportunidade de polir a pedra bruta que ainda és e transformá-la em lindo brilhante, valioso e único! 

É diante das dificuldades que provarás a tua fibra, a tua vontade de ser melhor a cada dia, de estar sintonizado com o Bem e os ensinamentos do Cristo, a maior Luz que já passou por este Planeta na experiência da carne.

Que o exemplo de Jesus inspire os teus dias na Terra, te inflando de coragem, força, fé e persistência para que faças o melhor proveito desta preciosa viagem. Passa tão rápido! Quando atravessares para o outro lado, terás a percepção de quanto a experiência na Terra é breve! Seja feliz ainda que as tempestades te ameacem. Elas são as oportunidades, as dádivas para o reencontro com o teu Eu Superior.
Luz e paz!
*  *  *

(Psicografia de Cristina Barudeem 06.12.12, em Salvador-BA.)
Fonte:  www.bahiaespirita.com.br. Acesso em: 07/dezembro/2012.
Imagem: www.morguefile.com. Acesso em:07/dezembro/2012.
Destaques: do Blog.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O RENASCER


Pelo Espírito Rosângela

"[...] Ante a bênção do renascimento em que você está matriculado, não desdenhe as experiências que o alcançam, convocando-o ao serviço para o encontro com Jesus, nosso Senhor.[...]"

Normalmente discutimos as questões referentes ao renascimento corporal, entrelaçando esse ou aquele argumento, perpassando impressões e casos vários, probatórios, do nosso conhecimento.

O renascimento no corpo, todavia, reclama o nosso esforço, no sentido de refazer a própria romagem, utilizando-nos das felizes lições que a Doutrina do Consolador vem-nos apresentando, há tanto tempo.

Renascer em nova indumentária fisiológica é reencarnar. Muito embora o peso que o termo deixa transparecer para alguns, não resta dúvida de que, sendo lei divina, todos nela estamos incursos. Os que creem na ação dessa lei quanto os que não a admitem, todos estamos sujeitos ao seu comando.

O ressurgimento no corpo, concitando-nos à mudança de posicionamento ético em face das vivências que empreendemos, torna necessária a observação das recomendações ou dos lembretes que nos chegam por meio da mostragem dos que estão lacrimosos, sofridos e marcados por rudes expiações no mundo, junto a tantos que remoem amarguras de aparência interminável.

Mas, ao lado disso, verificamos os que se gloriam no trabalho são e afanoso, contínuo e feliz, na expansão das alegrias e da esperança, do amor e do bem, na trajetória dos seus dias. Acompanhemos esses quadros, a fim de fazermos nossa própria escolha, uma vez que sabemos que a colheita que se faz agora não passa do resultado da sementeira efetuada por nós mesmos, em outra ocasião...

Ante a bênção do renascimento em que você está matriculado, não desdenhe as experiências que o alcançam, convocando-o ao serviço para o encontro com Jesus, nosso Senhor.

Trabalhe e aprimore-se. Aprimore-se e sirva. Sirva e passe, fazendo luz a sua volta, clareando a sua reencarnação, renascendo também em espírito, assemelhando-se ao Criador pelo amor que espalhe.

* * *
(Psicografia de J. Raul Teixeira. Em 24.01.2011.
Imagem: http://www.google.com/) . Acesso em: 04/dezembro/2012.
Formatação atualizada em 04.12.2012.

domingo, 2 de dezembro de 2012

OS CAMINHOS DA LIBERDADE


Leitura recomendada


“[...] Diante das contradições e conflitos do momento que estamos vivendo, percebemos esta obra como um porto seguro, de onde poderemos partir para outras viagens por esse vasto oceano de idéias que nos cerca. A autora demonstra a possibilidade real de desatarmos as amarras milenares que nos afastam da verdadeira liberdade.

Apresenta-nos suas conclusões como resultado de uma colheita obtida após trabalho produtivo de pesquisa do pensamento de sábios do Oriente e do Ocidente e, amorosamente, entrega-nos os frutos: 

"Há rochas no oceano que vêm sendo cobertas de água há milhares de anos; em seu interior, todavia, elas continuam secas. É fácil interpretar essa metáfora, o oceano representa a filosofia básica do amor, ensinada no Ocidente por Jesus. As rochas somos nós mesmos, nossos corações fechados que, não obstante permanecerem imersos nessa filosofia há tantos séculos, mantêm-se secos no seu interior. Nossa insensibilidade para responder aos apelos amorosos de Jesus é que nos amarra ao ciclo interminável de expectativa e desapontamento em que nos encontramos."

Garantimos a você, leitor(a), que a leitura do trabalho é uma incrível viagem e o(a) convidamos a fazê-la. [...]”
Leila Silva Brandão 
(excerto do Prefácio da obra).
*  *  *

"Os Caminhos da Liberdade", de Dalva Silva Souza, foi editado pela 
FEEES - Federação Espírita do Estado do Espírito Santo,
em 2001, em Vitória-ES.

sábado, 1 de dezembro de 2012

A ESSÊNCIA DA GENTILEZA


Isabela Cristina Pirola Lube*

A vantagem de tratar bem as pessoas, e não somente tratá-las da forma com que tratam você.

Primeiramente, sempre fica um pouco de perfume nas mãos de quem oferece flores. Sendo assim, quais flores estamos oferecendo?

Já parou para refletir? Um sorriso sincero pode ser uma caridade. Caridade no sentido de ser disso que as pessoas carecem. Claro, é muito mais fácil resmungar algo como “estou com pressa”, “agora não”, a perguntar “como está você hoje?” E se importar. Se importar com a resposta. Não na ambição de melhorar o mundo, mas de melhorar o mundo de alguém por um dia.

Em certos momentos, não nos encontramos dispostos a oferecer ao outro um tratamento cortês; isso é normal, considerando que estamos frequentemente sujeitos a dias cansativos, estressantes, cobranças, responsabilidades e preocupações. Mas será certo converter todo esse mal àqueles que nos cercam? E àqueles que nos amam, quais flores lhes estamos oferecendo?

É necessário compreender que, às vezes, o “venha a nós o vosso reino” pode machucar. Espera-se muito, faz-se muito pouco. Necessário entender também que, geralmente, quem distribui sorrisos é quem deles mais precisa.

Exercer a boa vontade para com o outro não só faz de você uma pessoa melhor; também dá ao outro a chance de ser melhor com você. E isso funciona como um ciclo: “gentileza gera gentileza”.
No entanto, trabalhemos com a possibilidade de que esse ciclo não funcione. Aí entra novamente a compreensão. E será mesmo que qualquer mau humor seja capaz de derrubar a boa vontade?

Ora, lembremo-nos das flores. Para que nós as ofereçamos, elas primeiro têm que estar conosco. E após oferecê-las, seu doce perfume conosco permanecerá. Até que a gentileza de outrem traga novas flores às nossas mãos.
*  *  *
(*) Isabela Cristina Pirola Lube tem 16 anos e cursa o
1º ano de Química do IFES de Aracruz-ES.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 29.11.12

terça-feira, 27 de novembro de 2012

"SÃO CHEGADOS OS TEMPOS"


"O progresso da Humanidade se cumpre, pois, em virtude de uma lei. Ora, como todas as leis da Natureza são obra eterna da sabedoria e da presciência divinas, tudo o que é efeito dessas leis resulta da vontade de Deus, não de uma vontade acidental e caprichosa, mas de uma vontade imutável. Quando, por conseguinte, a Humanidade está madura para subir um degrau, pode dizer-se que são chegados os tempos marcados por Deus, como se pode dizer também que, em tal estação, eles chegam para a maturação dos frutos e sua colheita." 
("A Gênese", Cap. XVIII, item 2.)

É certo e sabido que estamos vivendo, agora, o fim de um ciclo no processo evolutivo da Terra, que, de mundo de expiação, ascenderá a mundo de Regeneração.

É o alvorecer de uma nova Era para a nossa Humanidade. Mas as transformações estão ocorrendo e continuarão a ocorrer sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas”.

Portanto, previsões e calendários, não obstante merecerem respeitoso estudo e adequada meditação,  não devem constituir instrumento de pânico.

A Gênese”, de Allan Kardec, especialmente o Cap.XVIII - "São Chegados os Tempos" - traz  importantes revelações sobre este momento que vivenciamos e devem ser estudadas com a indispensável profundidade, tendo em vista o seu caráter profético.


Baixe gratuitamente "A Gênese". 
Francisco.
*  *  *

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

CORAL 'PRECE EM HARMONIA' (PIAUÍ) CANTA 'PRA MELHORAR', DE ANDRÉ PIROLA



Apresentando-se na 2ª noite do Show Em Arte, em 5 de agosto de 2012, no Cine Teatro da ALEPI/PI, o grupo espírita de arte de maior tradição no Piauí - o Coral 'Prece em Harmonia' - levanta o público com a música 'Pra Melhorar', de autoria do compositor espírita capixaba André Pirola. Essa melodia integra o CD "1857 - André Luiz canta...", o primeiro trabalho solo do compositor.
*  *  *

sábado, 3 de novembro de 2012

BONDADE E RENÚNCIA

Dr. Adolfo Bezerra  de Menezes - 29.08.1831 - 11.04.1900
Ramiro Gama

"[...] Abraçando-a, disse-lhe Bezerra:Não se apoquente, minha filha, vou ajudá-la. Confiemos no amor da Virgem, que vela por todos nós.[...]"

A companheira do abnegado médico já havia combinado com o amigo Cordeiro para cobrar aos que pudessem pagar à razão de cinco mil réis por consulente. O dinheiro não passaria pelas mãos de Bezerra e deveria ser encaminhado a D. Cândida. Bezerra sabia disto e concordou desde que recebesse apenas dos que estivessem em condições de pagar...

Certa vez, penetra no seu consultório da Farmácia Cordeiro uma pobre mulher com uma criança ao colo. Sentou-se e apresentou-lhe o filhinho para exame.

O aspecto da pobre mulher como o da criança traduzia miséria e fome.

Bezerra atendeu à criança. Sentiu-lhe o físico em mísero estado. E receitou, aconselhando à mão sofredora:

- Minha filha, dê a seu filho estes remédios de hora em hora. São remédios homeopáticos e, se desejar, pode comprá-los aqui mesmo...

- Comprá-los, doutor, com quê, se não tenho comigo nenhum níquel! Se eu e meu filho estamos até agora em jejum...

O bondoso médico olhou para a mãe sofredora. Seus olhos mansos e verdes, refletindo compaixão, encheram-se de pranto.

Ambos choravam!

O ambiente deveria ser tocante e vestido de luz e amor!

Abraçando-a, disse-lhe Bezerra: Não se apoquente, minha filha, vou ajudá-la. Confiemos no amor da Virgem, que vela por todos nós.

Procurou nos bolsos das calças e do paletó algum dinheiro e nada encontrou.

Pôs-se a pensar, olhando para cima, como se fizesse uma Prece muda e sentida.

De repente, fazendo-a sentar-se, sai e procura seu amigo Cordeiro, também manso e bom.

- Cordeiro, prometi-lhe não mexer no dinheiro das consultas, a fim de que você o encaminhe diretamente à minha esposa. Mas o caso de hoje é doloroso... Já rendeu alguma coisa?

- Nada, porque os doentes, até agora, são pobres e como sua ordem é para receber apenas dos que podem pagar...

- E o resultado de ontem, já o entregou?

- Não, está ainda comigo.

- Dê-me, então, este dinheiro e esperemos na proteção da Virgem, que há de nos mandar algum, mais tarde.

Cordeiro lhe atendeu. Bezerra penetra o consultório.

E, dirigindo-se à infeliz irmã em provas:

- Tome, minha filha, este envelope. Com o dinheiro que está aí, compre remédios, também leite e alimentos para seu filho.

A pobre mãe, de olhos surpresos, lacrimosos, lábios trêmulos, tartamudeia e nada pode dizer para lhe agradecer. Chora...

E Bezerra, abraçando-a:

- Nada de lágrimas, vamos, vá na santa Paz de Deus e que a Virgem a proteja e o seu filhinho. Ele há de ficar bom...

Assim atendida, a sofredora mãe deixa o consultório.

E, quando volta, da porta, para agradecer, ouve apenas a voz mansa e boa de Bezerra:

- Entre aquele que estiver em primeiro lugar.
*  *  *
(Do livro "Lindos Casos de Bezerra de Menezes".
Texto disponível em: http://www.universoespirita.org.br/ .
Acesso em: 11/maio/2011.)
Formatação atualizada em 03.11.2012.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

A VIDA CONTINUA...


Por Francisco de A. D. Pirola


"[...]o Equilíbrio universal não está a mercê de cálculos transitórios elaborados por essa ou aquela civilização.[...]"

Em meio a especulações a respeito do famoso Calendário Maia, postamos aqui um texto, de nossa autoria, intitulado "Terra: transição evolutiva para mundo de regeneração", afirmando a nossa  convicção na Codificação Kardequiana, que ensina estar a Terra atravessando apenas mais uma etapa no movimento evolutivo rumo à Era da Regeneração.

Nesse artigo, reproduzimos um texto de Allan Kardec, "A Geração Nova" ("A Gênese", Cap. XVIII: itens 27 a 35), que nos posiciona com muita clareza quanto aos acontecimentos que assinalamos nesta fase da transição planetária.

Não se trata, portanto, do tal "fim do mundo", tantas vezes repetido, por mera superstição ou por desconhecimento da temática que envolve o assunto.

Em outra postagem, sob o título "O mundo não vai acabar", voltamos ao assunto, para dizer que "fim do mundo" é uma ideia absurda, já que "[...] Deus, “a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas” (L.E – q. nº 1), jamais derrogaria a Sua Lei. A Suprema Sabedoria jamais poria em risco o Equilíbrio Universal.[...]", destruindo a sua própria criação.

O site O Globo publicou interessante matéria, assinada por Elisa Martins, com o título "Maias não previam fim do mundo em 2012, descobrem arqueólogos - Menção é sobre início de uma era neste ano, regida por um novo deus".

No texto, a autora comenta que especialistas na cultura Maia "[...] asseguram que o fim não está próximo [...]", e que "[...] Várias outras placas recém-descobertas na região revelam uma história sobre renovação de eras que nada tem a ver com um apocalipse.[...]".

Na continuação, a articulista cita o arqueólogo do Instituto Nacional de Antropologia e História (Inah) do México, Orlando Casare, que afirma  - "[...] A associação do fim do mundo com as profecias maias partiu de grupos místicos que exploram concepções de tempo de culturas antigas para criar uma visão apocalíptica [...]". Acrescenta, ainda, que "[...] Hoje as pessoas se informam com mais facilidade sobre tragédias ocorridas no planeta e buscam uma explicação para esses eventos, mas não existe nenhum argumento científico que comprove que os maias tenham previsto uma catástrofe.[...]".

Conforme escrevemos em "Por um mundo melhor", "[...] O calendário terreno assinala, hoje, o início de uma nova contagem para o tempo de agora. Mas é preciso atentar para o fato de que nossa vida terrena, no tempo universal, equivale a um instante fugidio, e que, seres espirituais que somos, na essência, nosso terminal de embarque e desembarque é o Plano do Espírito, sendo a Terra apenas uma estação passageira.[...]".

Voltamos ao assunto apenas para realçar, em vista da matéria do site O Globo, o que já afirmáramos com fundamento na Doutrina Espírita. (v. links nesta página)

Sigamos, então, o nosso caminho, com serenidade, na certeza de que o Equilíbrio universal não está a mercê de cálculos transitórios elaborados por essa ou aquela civilização.

Deus, sim, está, soberanamente, no comando de toda e qualquer transformação por que tem de passar a nossa humanidade. E as consequências desse movimento renovador, ainda que marcadas pela dor e pelo sofrimento, estão sob a égide da sua Infinita Misericórdia, que tudo sabe, e que nos alcança em todas as partes do mundo, sem qualquer distinção, porque - todos - somos seus Filhos e Ele quer, para todos nós, o Bem Maior.

Portanto, façamos a nossa parte (Mateus 7:7-11) na construção dos alicerces do Mundo de Regeneração, confiantes no Pai Maior, pois a vida continua...
* * *
Imagem: www.google.com. Acesso em: 08/janeiro/2012.
Texto atualizado em 01.11.2012.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O MUNDO NÃO VAI ACABAR


Por Francisco de Assis Daher Pirola

Dia desses, me perguntaram se a anunciada transição significava o “fim do mundo”. Respondi na hora:

─ Claro que NÃO!!! Essa é uma tese absurda. Deus, “a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas(LE – q. nº 1), jamais derrogaria a Sua Lei. A Suprema Sabedoria jamais poria em risco o Equilíbrio Universal.

Porém, as transformações existem - “nada se perde...tudo se transforma” - e, conforme ensinam os Espíritos Superiores, tais mudanças (sociológicas, geológicas, etc.), nos mais diversos departamentos da vida planetária, mais que necessárias, são fundamentais na administração planetária. Evolui a humanidade, evolui o planeta.

Pela Vontade Divina, tudo tem de evoluir. A natureza, os homens, os povos, os caracteres étnicos e sociais, as leis, a ciência, os animais, etc., e também os mundos que povoam os universos  - que são as “muitas moradas da casa do Pai(E.S.E – Cap. III), a habitação dos “seres inteligentes da Criação(L.E. q. 76).

É o que está acontecendo agora com a nossa residência planetária: está mudando de categoria. De mundo de expiação e provas  - “[...] onde domina o mal [...]” (E.S.E. – Cap. III – item 4.)  - encontra-se agora em trânsito evolutivo para mundo de regeneração - [...] nos quais as almas que ainda têm o que expiar haurem novas forças, repousando das fadigas da luta [...] (id. ib.).

Embora pareça recente, a transição, que ora se aprofunda, está em curso há milênios. Grandes catástrofes provocaram elevado número de desencarnes e duras expiações de caráter coletivo. Mas as comunicações entre os povos eram primárias, sob vários aspectos. Não existiam notícias instantâneas, e as distâncias diminuíam o impacto emocional dessas ocorrências. Não havia, por isso, tanta sensibilização.

Com o progresso das telecomunicações, entretanto, especialmente com o advento da internet e o surgimento das chamadas redes sociais, tudo ficou muito próximo. Tudo está muito presente. Há, portanto, uma percepção mais forte dos acontecimentos, sensibilizando mais a criatura humana, deixando-a mais fraterna e mais solidária diante da dor alheia. Assim, com o  nível hodierno de percepção, as tragédias são vistas e sentidas em toda a sua dimensão.

Trata-se, porém, de um processo gradual, pois a Natureza não dá saltos, e, sob a égide do Criador, não há improvisos, mas uma Lei inexorável.

A Humanidade atual, no curso dos milênios, sempre recebeu, do Plano Espiritual, de uma forma ou de outra, os chamados "sinais" do que iria acontecer. Os profetas de todos os tempos, mais ou menos acertadamente, deixaram a sua contribuição. Temos, também, nesse aspecto, o Apocalipse, do Apóstolo João, escrito provavelmente entre 64 e 67 d.C., com o seu linguajar cifrado, porém eloquente.

Entretanto, a partir de 1857, quando veio à luz “O Livro dos Espíritos”, que deu início à Codificação Kardequiana, pudemos entender, com mais propriedade, o caráter dessas mudanças até então anunciadas, mas não explicadas.

Essa, portanto, a fonte a que recorremos: as mensagens trazidas pelas “[...] grandes vozes do Céu [que] ressoam como sons de trombetas [...]. (E.S.E. – Prefácil).

Assim, meus amigos, diante dos fatos, conservemos a serenidade e façamos, condignamente, a nossa parte na construção dessa Nova Terra, perseverando no Bem, para que sejamos dignos de habitar o mundo de Regeneração. "Fé, Esperança e Caridade", nesta hora, são as palavras de ordem.

Os Mensageiros da Espiritualidade nos informam que, como registrou o Apocalipse (21:1 a 8), teremos "um novo céu e uma nova terra", o que, no seu simbolismo, significa que habitaremos um mundo novo onde o Bem Maior prevalecerá.
*  *  *
Nota: As abreviaturas "L.E." e "E.S.E." significam, respectivamente:
"O Livro dos Espíritos" e "O Evangelho Segundo o Espiritismo".
Imagem: www.google.com. Acesso: 31.03.2011.
Formatação atualizada em 19.12.2012.

domingo, 21 de outubro de 2012

O SUICÍDIO E A LOUCURA



Allan Kardec
("O Evangelho Segundo o Espiritismo" - Cap. V, itens 14 a 17.)

"[...] A incredulidade, a simples dúvida sobre o futuro, as idéias materialistas, numa palavra, são os maiores incitantes ao suicídio; ocasionam a covardia moral.[...]" 
“14. A calma e a resignação hauridas da maneira de considerar a vida terrestre e da confiança no futuro dão ao espírito uma serenidade que é o melhor preservativo contra a loucura e o suicídio. Com efeito, é certo que a maioria dos casos de loucura se deve à comoção produzida pelas vicissitudes que o homem não tem a coragem de suportar. Ora, se encarando as coisas deste mundo da maneira por que o Espiritismo faz que ele as considere, o homem recebe com indiferença, mesmo com alegria, os reveses e as decepções que o houveram desesperado noutras circunstâncias, evidente se torna que essa força, que o coloca acima dos acontecimentos, lhe preserva de abalos a razão, os quais, se não fora isso, a conturbariam.

15. O mesmo ocorre com o suicídio. Postos de lado os que se dão em estado de embriaguez e de loucura, aos quais se pode chamar de inconscientes, é incontestável que tem ele sempre por causa um descontentamento, quaisquer que sejam os motivos particulares que se lhe apontem. Ora, aquele que está certo de que só é desventurado por um dia e que melhores serão os dias que hão de vir, enche-se facilmente de paciência. Só se desespera quando nenhum término divisa para os seus sofrimentos. E que é a vida humana, com relação à eternidade, senão bem menos que um dia? Mas, para o que não crê na eternidade e julga que com a vida tudo se acaba, se os infortúnios e as aflições o acabrunham, unicamente na morte vê uma solução para as suas amarguras. Nada esperando, acha muito natural, muito lógico mesmo, abreviar pelo suicídio as suas misérias. (continua...)
------------------------------------------------------------------------------------
Leia mais:
O Suicídio e a Loucura
-----------------------------------------------------------------------
(Formatação atualizada em: 14.04.2013.)

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

TERRA: TRANSIÇÃO EVOLUTIVA PARA MUNDO DE REGENERAÇÃO


Por Francisco de Assis Daher Pirola
A transição ora vivida pela Terra, que está passando de "mundo de expiação e provas" para "mundo de regeneração", perdura na pauta de temas fervilhantes e continua provocando o interesse de adeptos das mais diversas vertentes do pensamento religioso, principalmente os espiritistas.

E os últimos acontecimentos, como desastres ecológicos, catástrofes, e outros que alcançam coletividades inteiras, com grande número de desencarnes, têm fomentado esse interesse.

Mas é preciso que se diga que tais acontecimentos, naturalmente associados à transição em curso, ocorre, segundo a Doutrina Espírita, porque os mundos também precisam evoluir, capacitando-se a receber as humanidades que também se renovam na sua caminhada evolutiva.

As transformações que esta geração assiste, portanto, fazem parte desse processo, que elevará a Terra a um grau superior no concerto dos mundos,  daí resultando melhor ambiente físico, moral e espiritual, para que nela possa habitar essa humanidade renovada(continua...)


Continue lendo este artigo em:
  
Imagem: www.google.com. Acesso em: 22.02.11.

sábado, 6 de outubro de 2012

O VEGETARIANO


Por Francisco de Assis Daher Pirola

Carlão dizia-se “avesso” a “essas coisas de espiritismo”. Junto a amigos espíritas, “preferia as suas convicções”, afirmava sempre.

Certa ocasião, dessas em que todos opinam ao mesmo tempo, discutia-se a alimentação dos espíritos. ─ Alimentam-se pela respiração, assimilando princípios vitais da atmosfera ─ dizia um apressado. Outro, ressaltava a “natureza fluídica” dos alimentos. E a conversa ia longe.

Chegado num bom churrasco, Carlão, inconformado, ironizava:

 Quer dizer que “lá em cima” não se come uma boa picanha?

Não, Carlão, espírito não come carne! ouvia da turma, quase em coro.

E o bom glutão, decepcionado, lamuriava-se:

Além de morto, vou “viver” de brisa! Se houver essa “tal vida” de que vocês tanto falam, vai ser difícil!

Não tem jeito, Carlão retrucava um dos amigos uma boa picanha, com gordura e tudo, mal passada, como você gosta... só encarnado. “Lá em cima”, como diz você, nada feito!

Por isso, espírita só faz churrasco com carne magra, regada a suco e refrigerante, ao som de música clássica dizia um brincalhão.

E a roda se desfez. Não o vimos mais, e acabamos por concluir que Carlão se afastara levado por “suas” convicções.

Tempos depois, numa reunião mediúnica, no Centro que o grupo frequentava, um dos amigos, identificou o espírito de Carlão, que ninguém sabia que havia desencarnado. Com naturalidade, iniciou o diálogo, como nos velhos tempos.

E aí, Carlão, como vai você?

O amigo desencarnado informou, então, que ali chegara “pra matar saudades”, e que estava pensando em reencarnar. Mas estava “preocupado”: “só havia conseguido vaga numa família de vegetarianos desabafou,  quase em tom de confidência.

Que bom, Carlão, disse-lhe o amigo dialogador em tom de incentivo e, recordando a conversa sobre o churrasco, ponderou assim você volta longe dos prazeres da carne. E disparou:

Vai topar?

  Claro! respondeu Carlão bem humorado vai que surge uma brecha...

E desapareceu, sem dar chance a qualquer outra insinuação.

*  *  *
Imagem: www.google.com. Acesso: 30/setembro/2012.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

CHICO XAVIER - O MAIOR BRASILEIRO DE TODOS OS TEMPOS



Chico Xavier foi eleito pelo povo brasileiro, dia 3, no programa (pesquisa) realizado pelo SBT,
como o maior brasileiro de todos os tempos!

Que possamos nos alegrar com o acontecido e aproveitar para retirarmos desse momento especial algo exemplificado e vivido por nosso Chico Xavier para que sejamos fiéis seguidores dos ensinamentos do Mestre Jesus, como Chico sempre foi.
* * *
Fonte: Portal FEB.
Imagem: Site do SBT. Acesso em: 04/outubro/2012.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O PACTO ÁUREO: A UNIFICAÇÃO EM TORNO DA FEB


"[...]o Pacto Áureo também representa uma constante advertência sobre os prejuízos que o cultivo das paixões personalistas pode acarretar como consequência do afastamento da orientação cristã da Doutrina."
Em outubro de 1904, representantes de núcleos espíritas dos Estados do Amazonas, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, bem como de grande número de Instituições Espíritas, sediadas na antiga Capital Federal, reunidos a convite da Federação para a comemoração do centenário de nascimento de Allan Kardec, firmam, em conjunto, um importante documento, que ficou conhecido como “Bases de Organização”, que passou a orientar a marcha do Movimento Espírita no Brasil.

Em 1925, surge a ideia de se instalar uma “Constituinte Espírita Nacional”, com propósitos unificadores. Mas a iniciativa reduz-se aos limites de uma Assembléia, em 31-3-1926, da qual resultou a fundação, nessa mesma data, da Liga Espírita do Brasil, que se propunha também a federar as instituições espíritas. Essa entidade, porém, mais tarde, subscrevendo o Acordo de 1949, se transformaria em Liga Espírita do Distrito Federal, passando a integrar a organização federativa coordenada pela FEB, como membro do Conselho Federativo Nacional.

Os anos de 1947 e 1948 assinalam a ocorrência de eventos, de âmbito estadual e nacional, que evidenciam a acentuada conscientização do Movimento Espírita quanto à necessidade da união de forças, do congraçamento, da concórdia, em todos os níveis de sua atuação. Destacavam-se, na época, fora dos círculos da FEB, os vultos de Lins de Vasconcellos, Carlos Jordão da Silva, Noraldino de Mello Castro, Leopoldo Machado, Francisco Spinelli, Aurino Souto, Roberto Pedro Michelena, Pedro de Camargo (Vinicius), entre tantos outros valorosos e sinceros servidores da seara espírita, cujo amor à causa da Unificação arrastava indivíduos e organizações a cerrarem fileira em torno da nobre bandeira.

Aos 5 de outubro de 1949, em memorável reunião entre diretores da FEB e representantes de diversas Federações e Uniões de âmbito estadual, firmava-se, na sede da Federação, no Rio de Janeiro, o Acordo de Unificação do Movimento Espírita Brasileiro ─ o Pacto Áureo.

O Pacto Áureo, pondo fim a injustificáveis divisionismos no seio da família espírita brasileira, concretizava a aspiração de sucessivas gerações, cultivada desde os primórdios do Espiritismo em nossa terra, no sentido de que ela se unificasse sobre as bases da união fraterna, da solidariedade e da tolerância.

Restava, porém, como indeclinável legitimação ao Acordo, a adesão de todos os membros da grande família espírita brasileira. Os que o subscreveram tinham a clara consciência da necessidade de estendê-lo à imensa fração dos que militavam nas regiões do Norte e do Nordeste brasileiros e não puderam se representar na Grande Conferência Espírita do Rio de Janeiro.

Com esse objetivo e inspirados no fervor apostólico dos primeiros arautos do Cristianismo, seis valorosos confrades - Arthur Lins de Vasconcellos Lopes, Carlos Jordão da Silva, Francisco Spinelli, Ary Casadio, Leopoldo Machado e, mais tarde, Luís Burgos Filho - iniciam, em 31 de outubro de 1950, uma excursão coletiva, às suas próprias expensas - a célebre “Caravana da Fraternidade” - cuja ação se encerrou em 13 de dezembro do mesmo ano, na cidade de Belo Horizonte (MG). Foram visitados onze Estados daquelas regiões, da Bahia ao Amazonas. Os resultados excederam as expectativas, dando abençoados frutos de confraternização, esclarecimento e consolidação dos ideais de Unificação.

Justificado motivo de júbilo para todos os adeptos conscientes, o Pacto Áureo também representa uma constante advertência sobre os prejuízos que o cultivo das paixões personalistas pode acarretar como consequência do afastamento da orientação cristã da Doutrina

* * *
Fonte: Revista "Reformador", Ano 117, nº 2047, outubro, 1999 - Portal FEB.
Obs.: Destaques do Blog.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

FORÇAS DO SER


LETRA E MÚSICA DE ANDRÉ PIROLA  
Observação: O capotraste deve ser utilizado na segunda casa.
Em Em7
Em
Forças... Forças do ser...
                                    C          Am
Forças... Forças do Ser Maior...
Am/G                            Em
Que pulsam em todos nós
Em
Forças... Forças pra crer...
Forças... pra entender
C                                              Am
O amor em chamas, o amor que seduz
Em                                           Em7
Do Amor que ama, do Amor que é Luz
                              Am
E o que você fará, amor,
C                                           Em
Do Amor que Deus deu pra você?
Em7                             Am
Pra quem você abrirá, amor,
C                     Em
A porta do seu ser?
Em                                    C
O amar atento é energia do bem
Am                                           Em
Pra tocar alguém tem que ter cuidado
                                                         C
Pois o mar do tempo, em seu vai e vem,
Am                Am/G                Em          Em7
Traz de volta, ao presente, o passado...
Am       C         Em        Em7
O Mar... Amar
G                Am                                   C
Forças que inspiram, que pintam e dançam
                         G                          D
Forças que escrevem, encenam e cantam
                      Am                                C
Forças que brilham nos centros do ser
                       Em               G
São forças do Ser Maior
                    Am                              C
Forças que guiam os seres e os mundos
                     G                     D
Forças que criam laços profundos
                    Am                  C
Forças que fazem a vida nascer
            Em
Renascer...
Am
E o que você fará, amor,
C Em
Do Amor que Deus deu pra você?
G                          Am              C             Em           Em7
Pra quem você abrirá, amor, a porta do seu ser?
                        Am
E o que você fará, amor,
C                                        Em
Do Amor que Deus deu pra você?
G                     Am                      C
Pra quem você abrirá, amor, a porta...
Am                Em
Importa pra você.
* * * 

Ficha Técnica:
"Forças do Ser"
Produzida por Ricardo Mendes e Joana Bentes
Gravada, mixada e masterizada no Estúdio Cachalote

Baixo: Andrey Junca
Voz: Gabriela De Carli
Guitarras, violões, bateria e backing vocals: Joana Bentes
Guitarras: Ricardo Mendes.
*  *  *
(Matéria atualizada em 14/setembro/2012.)