domingo, 24 de março de 2013

ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA JERONYMO RIBEIRO COMEMORA CENTENÁRIO


A Associação Espírita Jeronymo Ribeiro, de Cachoeiro do Itapemirim-ES, fundada em 1913, comemora, de 2 a 30 de abril próximo, o seu Centenário.

A programação, além de palestras públicas, inclui a apresentação, em 06 de abril, às 20 horas, no Teatro Carlos Gomes,  da peça teatral "O Farol".

A "A.E.J.R." tem a sua sede à Rua 25 de Março, 109, em frente ao INSS, Centro de Cachoeiro de Itapemirim (ES).

PROGRAMAÇÃO DOS EVENTOS

Dia 02/04 - Tema: Vida e Feitos de Jeronymo Ribeiro - Expositora: Sandra Novaes;
Dia 06/04 - Apresentação da Peça Teatral “O Farol” - Local: Teatro Rubem Braga;
Dia 09/04 - Tema: Jeronymo Ribeiro – O Educador - Expositor: Wallace Fernando Neves;
Dia 13/04 - Tema: Espiritismo: Perseverar com Kardec e Jesus - Expositor: Armando Falconi;
Dia 16/04 - Tema: Espiritismo – A Religião Cósmica do Amor - Expositor: João Batista Bragança;
Dia 23/04 - Tema: Atualidade da Casa Espírita - Expositor: Marcos Bentes;
Dia 30/04 - Tema: O Espiritismo em Nossas Vidas - Expositora: Dalva Silva Souza.

Obs.: Os eventos terão início sempre às 20 horas. A recepção ao público, às 19h30min.
* *
-----------------------------------------------------------------------
Jeronymo Ribeiro - resumo biográfico  
---------------------------------------------------------------------
*  *  *
Fonte: Blog da A.E.J.R. Acesso em: 19.03.2013.


sexta-feira, 22 de março de 2013

HÁ REMÉDIO


Isabela Cristina Pirola Lube

"Nessa vida
Há remédio para tudo".
E quem isso afirma
Muito inteligente é.

Mas será que existe
Remédio para quem está triste?

Será que tem 
Remédio para não desistir de fazer o Bem?

Tem, sim senhor!
Precisamos sempre
De muito Amor!
* * *
Isabela Cristina Pirola Lube tem 17 anos de idade e cursa o 2º ano do Ensino Médio
(Química) no Instituto Federal e Tecnológico do ES.
Esse poema foi feito por ela aos 9 anos de idade.
Imagem:http://www.google.com/Acesso em: 23/10/10.
Atualização em 22.03.2013.

terça-feira, 19 de março de 2013

HOMENAGEM A NESTOR JOÃO MASOTTI, EX-PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA


Nestor João Masotti - ex-presidente da Federação Espírita Brasileira
Antonio Cesar Perri de Carvalho

No espaço de nove meses e meio fomos surpreendidos em dois momentos pelo nosso amigo Nestor João Masotti. Em maio passado, quando nos telefonou de São Paulo informando-nos que ele se licenciaria da presidência da FEB para submeter-se a tratamento de saúde, e, pela mesma razão, no dia 5 de março quando nos informou sobre sua decisão de renunciar. Neste período de tempo exercemos a presidência interina da FEB.

Conhecemos Nestor nos anos 1960, ainda no chamado movimento de Mocidades Espíritas, no Estado de São Paulo. Estivemos muito próximos no período em que ele foi presidente e vice-presidente da USE-SP e depois quando assumiu a Secretaria Geral do CFN da FEB, vice-presidência e presidência da FEB, e, o Conselho Espírita Internacional.

Acompanhamos o lançamento das Campanhas “Comece pelo Começo”, “Carta aos Centros Espíritas”, “Carta aos Órgãos de Unificação”, “Campanha do Evangelho no Lar”, todas em nível de USE-SP. Como representante de São Paulo, Nestor tinha uma atuação marcante nas Reuniões do Conselho Federativo Nacional da FEB, e, foi um dos proponentes do “Orientação ao Centro Espírita”, aprovado em 1980, e, depois da “Campanha de Divulgação do Espiritismo”. Nos períodos em que residimos em Araçatuba e em São Paulo, atuávamos na implementação dos citados documentos. Depois passamos a agir conjuntamente com Nestor em preparativos para Congressos Brasileiros e Mundiais.

A FEB passou a marcar presença em movimentos da sociedade, como o “Brasil sem Aborto”, e estivemos juntamente com seu presidente. Surgiram outras Campanhas, como a Defesa da Vida, Viver em Família, Construamos a Paz Promovendo o Bem, e, Evangelho no Lar e no Coração; o Plano de Trabalho para o Movimento Espírita Brasileiro (2007-2012); atualização de Orientação ao Centro Espírita (2007); elaboração de Orientação aos Órgãos de Unificação (2010); o Projeto Centenário de Chico Xavier. A ampla difusão do livro espírita sempre foi uma de suas maiores preocupações no Brasil e no mundo!

Enfim, acompanhamos de perto muitos projetos e excelentes intenções de Nestor, mas também conhecemos muitas de suas lutas no difícil desiderato de presidir a FEB e de tentar conciliar situações de animosidade.

Nestor abriu muitos caminhos em nível nacional e em nível do Movimento Espírita internacional, como um dos fundadores e dirigente do Conselho Espírita Internacional.

No momento em que Nestor deixa a presidência da FEB e, recentemente, fomos escolhidos para o cargo, registramos nossas homenagens ao companheiro. A dedicação de sua vida e sua fidelidade à Doutrina Espírita merecem nosso profundo reconhecimento. Nestor se apresenta como legítimo trabalhador da Seara do Mestre!

Transcrevemos o texto da placa que entregamos a Nestor, em São Paulo, no dia seguinte de nossa eleição: “NESTOR JOÃO MASOTTI – Com todo carinho apresentamos nosso reconhecimento e gratidão pela sua dedicação e fidelidade ao Movimento Espírita Brasileiro, como diretor, vice-presidente e presidente da Federação Espírita Brasileira, com homenagens extensivas à sua esposa e colaboradora da FEB Maria Euny Herrera Masotti. Brasília, 16 de março de 2013. Conselho Diretor, Diretoria Executiva e Conselho Superior da FEB.
 *  *  *
Antonio Cesar Perri de Carvalho é presidente da Federação Espírita Brasileira.
Fonte: Portal FEB. Acesso em: 19.03.2013.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 19.03.2013.

segunda-feira, 11 de março de 2013

ONDE ESTIVERES


Pelo Espírito Auta de Souza

Enquanto o dia canta, enquanto o dia 
Esperanças e flores te revela,
Segue na estrada primorosa e bela
Da bondade que atende, ampara e cria.

Não desprezes o tempo que te espia
Por santa e infatigável sentinela. . .
E, alma do amor que se desencastela,
Perdoa, alenta e crê, serve e confia.

Lembra-te, enquanto é cedo! Tudo, tudo
O tempo extingue generoso e mudo,
Menos o Eterno Bem que, excelso, arde . . .

E onde estiveres, torturado embora,
Faze do bem  a luz de cada hora,
Antes que a dor te ajude, triste e tarde!

*  *  *
XAVIER, Francisco Cândido (Espírito Auta de Souza).
Poetas Redivivos (Obra Mediúnica). Rio, GB, FEB, 1ª Ed., 1969.p. 11.
Imagem: Floresta amazônica (Brasil),
disponível em http://www.google.com/.
Acesso em:18/novembro/2010.


domingo, 10 de março de 2013

O DESAFIO DO MOMENTO


Pelo Espírito Nancy Leite de Araújo


"[...]Não mais podemos ver o mundo a incendiar-se sem que nos apresentemos como operadores da paz e da alegria, da lucidez e do trabalho, sem qualquer omissão indevida.[...]"

Louvadas sejam as mãos que operam as ações do Bem, dirigidas por mentes devotadas à fidelidade aos norteamentos do Consolador.

Não é fácil encontrar-se na Terra muitas almas dispostas a renúncias e sacrifícios em favor dos tempos novos que, paradoxalmente, todos aguardam.

A impressão que se tem é que mentes muito poderosas mas negativas, que conhecem bastante a esfera das fragilidades humanas, atuam no sentido de minar o bom ânimo ou de insuflar desesperança em muitos corações, afastando-os dos caminhos seguros do Senhor.

Nada obstante, as falanges do Bem, capitaneadas por Prepostos de Jesus Cristo, diligentes e discretas, seguem firmes no empenho de desfazer espessas sombras que desorganizam e perturbam, além de iluminar consciências, incentivando-as à esperada fidelidade aos ensinamentos do Espiritismo.

É com essa reflexão que convidamos todos os irmãos de boa vontade para participarem da Caravana do Amor, que não se pode desmontar nem atarantar diante das investidas negativas do tempo presente.

O labor do Cristo nunca encontrou, na Terra, terreno fácil ou aceitação tranquila, mesmo entre indivíduos que se afirmam como seguidores do Bem. Para muitos deles seria mais interessante que a Mensagem Espírita não os retirasse das zonas de conforto nas quais se alocam, sem nenhum anseio de desacomodar-se, de ir à luta ou de efetuar as indispensáveis mudanças pelos caminhos da existência.

Como o Mestre afirmou que não se pode atender aos interesses de dois senhores, pelo risco de não se conseguir agradar a ambos igualmente, sentimos que já é tempo de optarmos pela polaridade mais importante para nós, ou seja, de fazermos as nossas escolhas definitivas para a vida.

É preciso que definamos a própria escala de valores, uma vez que ao assumirmos compromisso com a Verdade que liberta e com o Bem que alimenta, correremos menor risco de resvalar ou de nos conturbar à frente dos serviços a cumprir Seara afora.

A nossa união em torno do ideal Espírita não pode ser procrastinada, sob pena de perdermos o passo do progresso anelado nas idas do nosso Movimento Espírita, que se propõe difundir a exuberante mensagem do Mundo Maior.

Não temos mais tempo para qualquer modalidade de fuga, de defecção ou de negligência perante os compromissos com o futuro, que já começou.

Vários grupos de companheiros domiciliados nos Campos do Além, com os quais cooperamos pessoalmente, têm se somado às Falanges do Cristo, no sentido de reativar mentes incontáveis e de sensibilizar um sem-número de corações, para que não mais percamos a oportunidade de servir fielmente a Jesus.

Unamo-nos, pois, irmãos, fortalecendo-nos, reciprocamente, para que, devidamente reforçados e responsáveis, alcancemos a excelência da reencarnação e realizemos o nosso melhor esforço pela construção do sonhado mundo novo, a começar de nós mesmos e dos nossos dependentes intelectuais ou afetivos.

Para tanto, não deveremos nos afastar do estudo aprofundado do Espiritismo, por meio de sérias meditações, de discussões e análises graves sobre seus conteúdos tão felizes.

Não mais podemos ver o mundo a incendiar-se sem que nos apresentemos como operadores da paz e da alegria, da lucidez e do trabalho, sem qualquer omissão indevida.

No ensejo, bons amigos, contamos com a companhia dos caros Jaime Rolemberg e Leopoldo Machado, embora outros valorosos servidores desencarnados participem desses luminosos interesses.

O nosso grandioso Espiritismo, enfim, deve ser a nossa filosofia de vida ou não resistiremos ao peso do anticristo, que se materializa de diversas formas, pelas estradas da nossa evolução para o Criador. O tempo melhor, pois, é o agora!

Embora saibamos não ser fácil corporificar no mundo o projeto de Jesus Cristo, não poderemos esquecer que o nosso tempo é, de fato, o agora, e o nosso melhor dia é o de hoje.

Desejo abraçar a todos os irmãos que sustentam com seriedade o nosso Movimento, em todos os lugares, e despedir-me com fraternal carinho, sua irmã.
* * *
Psicografia de José Raul Teixeira, em 5 de novembro de 2010,
durante a Reunião Ordinária do Conselho Federativo
Nacional da Federação Espírita Brasileira, em Brasília, Distrito Federal.
Fonte: http://www.raulteixeira.com/ . Acesso em: 17/novembro/2011.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 17/novembro/2011.
Formatação atualizada em 10.03.2013.

quarta-feira, 6 de março de 2013

MEDICINA: MEDIUNIDADE NÃO É DOENÇA


Por Dr. Sérgio Felipe de Oliveira*

Código Internacional de Doenças (OMS) inclui influência dos Espíritos -
Medicina reconhece obsessão espiritual
"A obsessão espiritual como doença da alma, já é reconhecida pela Medicina. Em artigos anteriores, escrevi que a obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do Ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito.

No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos com essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do indivíduo e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente, corpo e espírito.

Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: iológico, psicológico e espiritual.

Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID - Código Internacional de Doenças - que permite o diagnóstico da interferência espiritual Obsessora.

O CID 10, item F.44.3 - define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença.

Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença.

Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos - nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura bem como na interferência de um ser desencarnado, a Obsessão espiritual.

Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios.

O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria - DSM IV - alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura.

Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas.

Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas.

Em minha prática clínica (também praticada por Ian Stevenson), a grande maioria dos pacientes, rotulados pelos psiquiatras de "psicóticos" por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o Ser Integral).

Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo."
*  *  *
(*Dr. Sérgio Felipe de Oliveira - Médico psiquiatra que
coordena a cadeira de Medicina e Espiritualidade na USP.)
Artigo disponível no Boletim Eletrônico daFederação Espírita Brasileira - Junho/2011/ 2ª quinzena.
Imagem: www.google.com . Acesso em: 22/junho/2011.
Formatação atualizada em 06.03.2013.  Destaque:pelo editor do Blog.