quinta-feira, 30 de julho de 2015

QUE BUSCAIS?

Pelo Espírito Emmanuel
"...Quem segue o Cristo, vive-lhe o apostolado..."
Esta simples indagação do Senhor, aos dois discípulos que o seguiam, é dirigida presentemente a todos os lidadores do Espiritismo, diante da Boa Nova renascente no mundo.

Ao obreiro modesto da assistência fraternal, exprime a Voz Superior a reclamar-lhe os frutos na colheita do bem.

Ao colaborador da propaganda doutrinária, representa a interpelação incessante acerca da tarefa de resguardar a pureza dos postulados que consolam e instruem.

Ao orientador das assembleias de nossa fé, é a pergunta judiciosa, quanto à qualidade do esforço no cumprimento dos deveres que lhe competem.

Ao servidor da evangelização infantil, surge a interrogação do Divino Mestre qual brado de alerta relativamente ao rumo escolhido para a sementeira de luz.

Ao portador da responsabilidade mediúnica, inquire Jesus pela aplicação dos talentos que lhe foram confiados.

Ao aprendiz incipiente da oficina espírita cristã constitui adequada sindicância quanto à sinceridade que traz consigo, alertando-o para os deveres justos.

A cada criatura que desperta em mais altos níveis da fé raciocinada, soa a interpelação do Senhor como sendo convite às obras em que se afirme a caridade real.

Assim, escuta no íntimo, em cada lance das próprias atividades, a austera palavra do Condutor Divino, convocando-te à coerência entre o ideal e o esforço, entre a promessa e a realização.

Analisa o que fazes.

Observa o que dizes.

Medita em torno de tuas aspirações mais ocultas.

Que resposta forneces à indagação do Senhor?

Quem segue o Cristo, vive-lhe o apostolado.

Serve, coopera e caminha avante, sem temor ou vacilação, lembrando-te de que o Verbo da Verdade incide sobre nós, cada dia, perguntando incessantemente:

– Que buscais?
*  *  *
“Que buscais?” – Jesus-(João, 1: 38)

Do livro ‘O Espírito da Verdade’, ditado pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz,
psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira. 1ª ed. FEB.
1962. Lição. 54[E.S.E - Cap. XVIII – Item 10]. págs. 127/128.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 17/agosto/2012.
Formatação atualizada em: 07/julho/2015.

terça-feira, 28 de julho de 2015

"ALÉM DA VIDA' - EM CARTAZ NO TEATRO CARLOS GOMES (VITÓRIA-ES)


Datas:
01 de agosto - às 20:30; e
02 de agosto - às 19:00

Local:
Teatro Carlos Gomes - Vitória-ES
Tel: (27) 3132-8399

Ingressos na bilheteria do teatro:
R$ 50,00(inteira) e R$ 25,00(meia)

Ingressos antecipados:
R$ 25,00 - até 31/07

Informações:
Dutra Produções
Tel.:(27) 9 9995-3012
*  *  *

sábado, 18 de julho de 2015

OBJETIVO DA FÉ

Pelo Espírito Emmanuel
"...A fé representa a bússola, a lâmpada acesa a orientar-nos os passos através dos obstáculos..."
"Qual a finalidade do esforço religioso em minha vida?"

Esta é a interrogação que todos os crentes deveriam formular a si mesmos, freqüentemente.

O trabalho de auto-esclarecimento abriria novos caminhos à visão espiritual.

Raramente se entrega o homem aos exercícios da fé, sem espírito de comercialismo inferior. Comumente, busca-se o templo religioso com a preocupação de ganhar alguma coisa para o dia que passa.

Raciocínios elementares, contudo, conduziriam o pensamento a mais vastas ilações.

Seria a crença tão-somente recurso para facilitar certas operações mecânicas ou rudimentares da vida humana? Os irracionais, porventura, não as realizam sem maior esforço? Nutrir-se, repousar, dilatar a espécie, são característicos dos próprios seres embrionários.

O objetivo da fé constitui realização mais profunda. É a "salvação" a que se reporta a Boa Nova, por excelência. E como Deus não nos criou para a perdição, salvar, segundo o Evangelho, significa elevar, purificar e sublimar, intensificando-se a iluminação do espírito para a Vida Eterna.

Não há vitória da claridade sem expulsão das sombras, nem elevação sem suor da subida.

A fé representa a bússola, a lâmpada acesa a orientar-nos os passos através dos obstáculos; localizá-la em ângulos inferiores do caminho é um engano de conseqüências desastrosas, porque, muito longe de ser uma alavanca de impulsão para baixo, é asa libertadora a conduzir para cima.
* *
"Alcançando o fim da vossa fé, que é a salvação das vossas almas." - Pedro. (I PEDRO, 1:9)

*  *  *
(Do livro "Vinha de Luz", de Emmanuel, psicografado
por Chico Xavier. Lição n° 92. Ed. internet baseada na 14ª ed. FEB.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 03/março/2012.
Formatação atualizada em:16/julho/2015.Destaque: pelo editor do Blog.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

CONCEITOS DE ALLAN KARDEC

Allan Kardec

“A marcha dos Espíritos é progressiva, jamais retrógrada.”
“O Livro dos Espíritos” — página 127. FEB, 25ª edição.
*
"No conhecimento do perispírito está a chave de inúmeros problemas até hoje insolúveis."
“O Livro dos Médiuns” — página 61. FEB, 23ª edição.
*
"O Espiritismo mostra que a vida terrestre não passa de um elo no harmonioso e magnífico conjunto da Obra do Criador."
O Evangelho Segundo o Espiritismo” — página 54. FEB, 46ª edição.
*
"No intervalo das existências humanas o Espírito torna a entrar no mundo espiritual, onde é feliz ou desventurado segundo o bem ou o mal que fez."
“O Céu e o Inferno” — página 30. FEB, 17ª edição.
*
"O Espiritismo e a Ciência se completam reciprocamente; a Ciência, sem o Espiritismo, se acha na impossibilidade de explicar certos fenômenos só pelas leis da matéria; ao Espiritismo, sem a Ciência, faltariam apoio e comprovação."
“A Gênese” — página 20. FEB, 12ª edição.
* * *
(Textos selecionados pelo Espírito André Luiz  no  livro
"Evolução em Dois Mundos". Pág. 14.FEB, 17ª ed.) 
Formatação atualizada em: 06/julho/2015.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

SEGUNDO O ESPIRITISMO

Pelo Espírito André Luiz

"...Elege a bondade e a paciência, a alegria e a fé, por tuas companheiras da alma, levantando o ânimo e fortalecendo os corações que te partilhem a marcha..."
Nossa vida reflete-se sobre todas as vidas que nos rodeiam. Acata as leis que dirigem a experiência coletiva, sem esquecer-se de que o comportamento da pessoa interessada em burilar-se moralmente é sempre mais observado e seguido pelos outros.

A riqueza inaproveitada cria a miséria. Aperfeiçoa a paisagem onde estejas situado, com os melhores recursos da aprendizagem humana, recordando que estás em trânsito, nessa ou naquela propriedade que a Sabedoria Divina pode fazer passar de mão em mão.

A existência no corpo terrestre, por mais longa, é instante breve à frente da Eternidade.Certifica-te de que os minutos não nos esperam para a consecução desse ou daquele  acontecimento.

A opinião atrai, mas a conduta arrasta. Elege a bondade e a paciência, a alegria e a fé, por tuas companheiras da alma, levantando o ânimo e fortalecendo os corações que te partilhem a marcha, a fim de que a sinceridade e a pureza se façam a luz na tua estrada cristã.

Do auxílio individual surge a grandeza do esforço coletivo. Busca dentro das próprias possibilidades os ideais e as opiniões favoráveis à melhoria das normas de trabalho nas organizações a que te filies.

O personalismo é porta sutil para a vaidade. Faze confluir para Jesus, Nosso Divino Mestre, as atenções e os agradecimentos, a confiança e a reverência de todas as criaturas que mourejam nas tarefas do bem.
*  *  *
(“Opinião Espírita”, ditado pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz aos médiuns
Chico Xavier e Waldo Vieira. 7ª Ed. Uberaba (MG). CEC.
1990. Lição nº 23 [L.E. – Q.628, recebida por Waldo Vieira] p.87/88.)
Imagem: www.google.com. Acesso em:15/julho/2012.
Formatação atualizada em: 07/julho/2015.

sábado, 11 de julho de 2015

MISSÃO DE MOISÉS

Pelo Espírito André Luiz
"...Consagra amor supremo ao Pai de Bondade Eterna, n'Ele reconhecendo a tua divina origem..."
Os padres tebanos conheciam, de maneira precisa, a evidência do corpo espiritual que pode exteriorizar-se de cada criatura para ações úteis ou criminosas.

Cultivam a mediunidade em grau avançado, atendem a complexas aplicações do magnetismo, traçam disciplinas à vida íntima e comunicam-se com os desencarnados de modo iniludível, consagrando-lhes reverência especial.

Nesse campo de conhecimento mais nobre, reencarna-se Moisés como missionário da renovação, para dar à mente do povo a concepção do Deus Único, transferindo-a dos recintos iniciáticos para a praça pública. Entretanto, porque a evolução dos princípios religiosos implica sempre em levantamento dos costumes, com a elevação da alma, o desbravador enfrenta batalhas terríveis do pensamento acomodado aos circuitos da tradição em que as classes se exploram mutuamente, agravando assim os próprios compromissos, para afinal receber os fundamentos da Lei, no Sinai.

Desde essa hora, o conhecimento religioso, baseado na Justiça Cósmica, generaliza-se no âmago das nações, porquanto, através da mensagem de Moisés, informa-se o homem comum de que, perante Deus, o Senhor do Universo e da Vida, é obrigado a respeitar o direito dos semelhantes para que seja igualmente respeitado, reconhecendo que ele e o próximo são irmãos entre si, filhos de um Pai Único.

A religião passa, desse modo, a atuar, em sentido direto, no acrisolamento do corpo espiritual para a Vida Maior, através da educação dos hábitos humanos a se depurarem no cadinho dos séculos, preparando a chegada do Cristo, o Governador Espiritual da Terra.

As idéias da justiça e da solidariedade, dos deveres coletivos e individuais com a higiene do corpo e da mente atingem ampla divulgação.

Os Dez Mandamentos

Os dez mandamentos, recebidos mediunicamente pelo profeta, brilham ainda hoje por alicerce de luz na edificação do direito, dentro da ordem social.

A palavra da Esfera Superior gravava a lei de causa e efeito para o homem, advertindo-o solenemente:
Consagra amor supremo ao Pai de Bondade Eterna, n'Ele reconhecendo a tua divina origem.
- Precata-te contra os enganos do antropomorfismo, porque padronizar os atributos divinos absolutos pelos acanhados atributos humanos é cair em perigosas armadilhas da vaidade e do orgulho.
- Abstém-te de envolver o Julgamento Divino na estreiteza de teus julgamentos.
- Recorda o impositivo da meditação em teu favor e em benefício daqueles que te atendem na esfera de trabalho, para que possas assimilar com segurança os valores da experiência.
- Lembra-te de que a dívida para com teus pais terrestres é sempre insolvável por sua natureza sublime.
- Responsabilizar-te-ás pelas vidas que deliberadamente extinguires.
- Foge de obscurecer ou conturbar o sentimento alheio, porque o cálculo delituoso emite ondas de força desorientada que voltarão sobre ti mesmo.
- Evita a apropriação indébita para que não agraves as próprias dívidas.
- Desterra de teus lábios toda palavra dolosa a fim de que se não transforme, um dia, em tropeço para os teus pés.
- Acautela-te contra a inveja e o despeito, a inconformação e o ciúme, aprendendo a conquistar alegria e tranqüilidade, ao preço do esforço próprio, porque os teus pensamentos te precedem os passos, plasmando-te, hoje, o caminho de amanhã.
Pedro Leopoldo, 13/4/58.
* * *
(Do livro "Evolução em Dois Mundos", pelo Espírito André Luiz,
psicografado por F.C.Xavier/Waldo Vieira, cap. XX, Primeira parte. 17ª ed., FEB, 1999.)
Imagem: www.flickr.com. Acesso em: 04/novembro/2011.
Formatação atualizada em: 08/julho/2015. Destaques: pelo Editor do Blog.

terça-feira, 7 de julho de 2015

O MINISTRO SÁBIO

Pelo Espírito Neio Lúcio

"...Para que o bem possa reinar entre os homens, há de ser uma realidade positiva no campo do mal, tanto quanto a luz há de surgir, pura e viva, a fim de expulsar as trevas..."

Mateus discorria, solene, sobre a missão dos que dirigem a massa popular, especificando deveres dos administradores e dificuldades dos servos.

A conversação avançava, pela noite a dentro, quando Jesus, notando que os aprendizes lhe esperavam a palavra amiga, narrou, sorridente:

— Um reino existia, em cuja intimidade apareceu um grande partido de adversários do soberano que o governava. Pouco a pouco, o espírito de rebeldia cresceu em certas famílias revoltadas e, a breves semanas, toda uma província em desespero se ergueu contra o monarca, entravando-lhe as ações.

Naturalmente preocupado, o rei convidou um hábil juiz para os encargos de primeiro ministro do país, desejoso de apagar a discórdia; mas o juiz começou a criar quantidade enorme de leis e documentos escritos, que não chegaram a operar a mínima alteração.

Desiludido, o imperante substituiu-o por um doutrinador famoso. O tribuno, porém, conduzido à elevada posição, desfez-se em discursos veementes e preciosos que não modificaram a perturbação reinante.

Continuavam os inimigos internos solapando o prestígio nacional, quando o soberano pediu o socorro de um sacerdote que, situado em tão nobre posto, amaldiçoou, de imediato, os elementos contrários ao rei, piorando o problema.

Desencantado, o monarca trouxe um médico à direção dos negócios gerais, mas tão logo se viu em palácio, partilhando as honras públicas, o novo ministro afirmou, para conquistar o favor régio, que o partido de adversários da Coroa se constituía de doentes mentais, e fez disso propaganda tão ruinosa que a indisciplina se tornou mais audaciosa e a revolta mais desesperada.

Pressentindo o trono em perigo, o soberano substituiu o médico por um general célebre, que tomou providência drástica, arregimentando forças armadas nas regiões fiéis e mobilizando-as contra os irmãos insubmissos. Estabeleceu-se a guerra civil. E quando a morte começou a ceifar vidas inúmeras, inclusive a do temido lidador militar que se convertera em primeiro ministro do reino, o imperante, de alma confrangida, convidou um sábio a ocupar-se do posto então vazio. Esse chegou à administração, meditou algum tempo e deu início a novas atividades.

Não criou novas leis, não pronunciou discursos, não censurou os insurretos, não perdeu tempo em zombaria e nem estimulou qualquer cultura de vingança.

Dirigiu-se em pessoa à região conflagrada, a fim de observar-lhe as necessidades.

Reparou, aí, a existência de inúmeras criaturas sem teto, sem trabalho e sem instrução, e erigiu casas, criou oficinas, abriu estradas e improvisou escolas, incentivando o serviço e a educação, lutando, com valioso espírito de entendimento e fraternidade, contra a preguiça e a ignorância.

Não transcorreu muito tempo e todas as discórdias do reino desapareceram, porque a ação concreta do bem eliminara toda a desconfiança, toda a dureza e indecisão dos espíritos enfermiços e inconformados.

Mateus contemplava o Senhor, embevecidamente, deliciando-se com as idéias de bondade salvadora que enunciara, e Jesus, respondendo-lhe à atenção com luminoso sorriso, acrescentou para finalizar:

— O ódio pode atear muito incêndio de discórdia, no mundo, mas nenhuma teoria de salvação será realmente valiosa sem o justo benefício aos espíritos que a maldade ou a rebelião desequilibraram. Para que o bem possa reinar entre os homens, há de ser uma realidade positiva no campo do mal, tanto quanto a luz há de surgir, pura e viva, a fim de expulsar as trevas.
*  *  *
(Do livro "Jesus no Lar", do Espírito Neio Lucio,psicografado
por Chico Xavier. Lição n° 15. 36ª ed. FEB.)
Imagem: www.google.com . Acesso em: 07/julho/2015.
Formatação atualizada em:07/julho/2015.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

SEMINÁRIO NA FLÓRIDA (EUA)


Seminário de Formação de Evangelizadores de Infância e Juventude na Flórida
A Federação Espírita da Flórida (Spiritist Federation of Florida, EUA), por meio de seu Children and Youth Department, promoveu, nos dias 13 e 14 de junho, na cidade de Port Saint Lucie, Seminário voltado à formação de Evangelizadores que atuam junto às crianças e jovens do Estado da Flórida.

O evento contou com exposições de Sandra Borba (FERN) e Miriam Dusi (FEB) sobre temas relacionados à Qualidade da Tarefa da Evangelização, com enfoque nas qualidades doutrinária, metodológica, relacional e organizacional, de modo a favorecer espaço de escuta, intercâmbio e compartilhamento de experiências locais.

Cerca de 50 pessoas participaram do evento, contemplando 13 instituições espíritas do Estado e contando com a representação dos Estados de Atlanda e Connecticut. As expositoras também realizaram palestras em Centros Espíritas das cidades de Miami, Coconut Creek, Deerfield Beach, Pompano Beach, Boca Raton e North Miami.
*  *  *
Texto e imagem: Boletim Eletrônio da FEB-
1ª quinzena de julho/2015.Acesso em:01/julho/2015.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

VOCÊ E A REENCARNAÇÃO

Pelo Espírito Ernest O’Brien
(Nova Iorque, N.I., E.U.A, 14, Julho, 1965.)

"...Dê amor à Humanidade e Você receberá amor, em todas as suas manifestações..."

A reencarnação é o retorno da alma à Terra, repetidas vezes, no corpo humano. Somente essa doutrina explica as aparentes injustiças da vida. É a verdade eterna.

Na sucessão dos nascimentos, o homem adquire experiência e conhecimento acerca de si mesmo e do seu destino. Pela reencarnação aprende-se que “o homem colhe aquilo que semeia”.

Toda vida é eterna. A lei da justiça é infalível. Não há um pensamento, uma palavra ou uma ação que não tenha o seu eco. Para possuir, dê. Você tem de saber disso. O homem cria as causas e a lei cármica ajusta os efeitos. Você tem liberdade de escolher entre o bem e o mal.

Portanto, o melhor esforço está no aperfeiçoamento próprio. É isso que importa, afinal de contas? A instrução é o tesouro da alma. Mas, que aproveita ao homem possuir um tesouro e não usá-lo em boas ações?

O desenvolvimento da nossa acuidade espiritual faz brilhar a luz dentro de nós. Não basta ao homem espiritualizar-se. Ele deve aplicar e demonstrar a sua espiritualização. Viver é dar.

Deus enviou-nos, a cada um de nós, para ser um trabalhador do Seu Reino. O fruto da cultura é semeado em obras para a generosidade de Deus no mundo.

De outro lado, o conhecimento é como a semente; a que cai no coração aberto, produz o fruto da perfeição.

Se a nossa fé em Deus for suprema, Deus retribui na mesma medida. A justiça o exige e, assim, o entendemos. Destinamo-nos à felicidade aqui ou além se, acima de tudo, proporcionarmos felicidade ao nosso semelhante. Essa é a lei de causa e efeito – renascimento.

De que serve o conhecimento inativo?

Dê amor à Humanidade e Você receberá amor, em todas as suas manifestações.

Todo ser humano é rodeado de oportunidades sem fim e de infinitas possibilidades. A lei cármica retribui a Você do modo como Você a recebe. Procure conhecer-se e praticar as boas ações sempre. Experimente.
*  *  *
(Do livro “Entre irmãos de outras terras". Autores Diversos.
Psicografias de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.
1ª Ed. FEB. 1966. Lição nº 33 [psicografia de Waldo Vieira]. II parte. p.111/112.)
Imagem: www.morguefile.com. Acesso em:01/julho/2015.
Formatação atualizada em: 01/julho/2015.

REFLEXÃO DE GIBRAN - SOBRE A ORAÇÃO

Por Gibran Khalil Gibran

"...Quando rezais encontrais no ar aqueles que rezam à mesma hora e que, se não fosse na oração, nunca encontraríeis..."
Depois uma sacerdotisa disse, Fala-nos da Oração. E ele respondeu, dizendo: Vós orais na aflição e na necessidade; também devíeis orar na alegria e nos tempos de abundância. Pois o que é a oração senão a expansão de vós no ar vivo?

E se vos dá consolo largar vossa escuridão no espaço, também vos deve dar felicidade lançar o vosso coração à aurora.

E se só conseguirdes chorar quando a vossa alma vos chamar à oração, ela vos estimulará até que, ainda a chorar, vos comeceis a rir. Quando rezais encontrais no ar aqueles que rezam à mesma hora e que, se não fosse na oração, nunca encontraríeis.

Por isso deixai que a vossa visita a esse templo invisível não seja senão para o êxtase e doce comunhão. Pois não deveis entrar no templo com outro objectivo que não seja o de pedir aquilo que não recebereis: E se lá entrardes com humildade assim permanecereis: Ou mesmo se lá entrardes para pedir favores para os outros não sereis ouvidos. É suficiente que entreis invisíveis no templo.

Não vos posso ensinar a orar por palavras. Deus não ouve as vossas palavras a não ser quando ele próprio as murmura. Através dos vossos lábios. E não vos posso ensinar a oração dos mares e das florestas e das montanhas. Mas vós que nascestes nas montanhas e nas florestas e nos mares, encontrareis a oração nos vossos corações, e se escutardes na quietude da noite, ouvi-los-eis dizer em silêncio:
"Nosso Deus, que sois o nosso eu alado, é a vossa vontade em nós que quer. É o vosso desejo em nós que é desejado. É a vossa vontade para que tornemos as nossas noites que são vossas, em dias que são igualmente vossos. Não vos podemos pedir, pois conheceis os nossos desejos antes de nós próprios nascermos, vós sois o nosso desejo, e em dar-nos mais de vós, dais-vos todo."
*  *  *
("Sobre a oração" - do livro 'O Profeta'.
Disponível em: http://www.starnews2001.com.br ,
Acesso em: 31/março/2010.)
Imagem: www.morguefile.com . Acesso em: 01/julho/2015..
Formatação atualizada em:01/julho/2015..