domingo, 29 de julho de 2018

EVOLUÇÃO E FELICIDADE

Pelo Espírito Emmanuel

'... não existe felicidade sem amor e não existe amor, sem responsabilidade, fora das Leis de Deus ...'
Não esperavas talvez que expressões espetaculares te marcassem na Terra os processos de vivência humana.
E, muitas vezes, nós mesmos destacamos a disparidade entre as vitórias do raciocínio e as conquistas do sentimento.
Filósofos lamentam as distâncias entre a ciência e o amor.
Ainda assim, acima de nossos próprios pontos de vista, anteriormente expendidos, somos forçados a considerar que os domínio de um e outro são muito diferentes.
Onde os eletrocardiógrafos capazes de medir o grau da dedicação dos pais pelos filhos? Onde os computadores que nos traduzem em número e especificação as doenças suscitadas pelo ódio? Como encontrar as máquinas que possam frenar, entre os povos, os impulsos da guerra e da delinquência? Em que prodigioso supermercado adquirir exaustores, das paixões que, na Terra, enquanto encarnados, tanta vez nos devastam a alma, inclinando-nos à loucura ou ao suicídio? E onde, por fim, surpreender as engrenagens que nos mantenham, aí no mundo, com serenidade e equilíbrio, frustrando-nos as lágrimas, quando apertamos, em vão, entre as nossas, as mãos desfalecentes das criaturas queridas que se despedem de nós, antecedendo-nos, na viagem da morte?
Não te apaixones pelo progresso sem amor.
De que te valeria palmilhar, por meses e meses, um deserto formado em pepitas de ouro, sem a bênção da fonte, ou residir num palácio sem luz?
Atende à evolução para aperfeiçoar a vida, mas cultiva a fé e a paciência, a humildade e a compreensão que te balsamizem o espírito, porque não existe felicidade sem amor e não existe amor, sem responsabilidade, fora das Leis de Deus.🔵
________
“Porque nada podemos contra a verdade senão pela verdade.” – PAULO. (II Coríntios, 13:8.)
____________________
(Do livro "Ceifa de Luz", pelo Espírito Emmanuel;
[psicografado por] Francisco Cândido Xavier. - 2.ed. - 
3ª impressão -Rio de Janeiro; Federação
Espírita Brasileira, 2011.Lição 65. pág. 221/223.)
Destaques: pelo Editor do Blog.
Imagem: www.morguefile.com .Acesso em:13/agosto/2015.
Formatação atualizada em: 29/julho/2018.

A CÓLERA

 
'...a cólera não exclui certas
qualidades do coração, mas impede se faça muito bem e pode levar à prática de muito mal...'
O orgulho vos induz a julgar-vos mais do que sois; a não suportardes uma comparação que vos possa rebaixar; a vos considerardes, ao contrário, tão acima dos vossos irmãos, quer em espírito, quer em posição social, quer mesmo em vantagens pessoais, que o menor paralelo vos irrita e aborrece. Que sucede então? – Entregai-vos à cólera.
Pesquisai a origem desses acessos de demência passageira que vos assemelham ao bruto, fazendo-vos perder o sangue-frio e a razão; pesquisai e, quase sempre, deparareis com o orgulho ferido. Que é o que vos faz repelir, coléricos, os mais ponderados conselhos, senão o orgulho ferido por uma contradição.
Até mesmo as impaciências, que se originam de contrariedades muitas vezes pueris, decorrem da importância que cada um liga à sua personalidade, diante da qual entende que todos se devem dobrar.
Em seu frenesi, o homem colérico a tudo se atira: à natureza bruta, aos objetos inanimados, quebrando-os porque lhe não obedecem.
Ah! se nesses momentos pudesse ele observar-se a sangue-frio, ou teria medo de si próprio, ou bem ridículo se acharia! Imagine ele por aí que impressão produzirá nos outros. Quando não fosse pelo respeito que deve a si mesmo, cumpria-lhe esforçar-se por vencer um pendor que o torna objeto de piedade. Se ponderasse que a cólera a nada remedeia, que lhe altera a saúde e compromete até a vida, reconheceria ser ele próprio a sua primeira vítima.
Mas, outra consideração, sobretudo, devera contê-lo, a de que torna infelizes todos os que o cercam. Se tem coração, não lhe será motivo de remorso fazer que sofram os entes a quem mais ama? E que pesar mortal se, num acesso de fúria, praticasse um ato que houvesse de deplorar toda a sua vida!
Em suma, a cólera não exclui certas qualidades do coração, mas impede se faça muito bem e pode levar à prática de muito mal. Isto deve bastar para induzir o homem a esforçar-se pela dominar. O espírita, ao demais, é concitado a isso por outro motivo: o de que a cólera é contrária à caridade e à humildade cristãs. Um Espírito protetor. (Bordéus, 1863.)🔵
________________________
(De "O Evangelho Segundo o Espiritismo" - item 9 - cap.IX.)
Imagem: portaldasflores.org. Acesso em: 17.04.2011.
Destaques: pelo editor do Blog.
Formatação atualizada em: 29/julho/2018.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTRIA DO EVANGELHO

'[...] o Brasil terá também o seu grande momento,
no relógio que marca os dias da evolução da humanidade [...]'

"Nestes tempos de confusões amargas que preocupam a todos é natural que as nossas reflexões convirjam para o momento atual. Entretanto, faz-se necessário alargar os horizontes com vistas a um futuro que nos aponte a possibilidade de prosseguir confiantes e seguros de que tudo passa e de que o progresso é lei natural, por isso divina, inexorável.
Nesse sentido, o benfeitor espiritual Emmanuel nos conduz a esse futuro quando afirma em seu Prefácio, no livro Brasil, coração do mundo, pátria do evangelho:
[...] se a Grécia e a Roma da Antiguidade tiveram a sua hora, como elementos primordiais das origens de toda a civilização do Ocidente; se o império português e o espanhol se alastraram quase por todo o planeta; se a França e a Inglaterra têm tido a sua hora proeminente nos tempos que assinalam as etapas evolutivas do mundo, o Brasil terá também o seu grande momento, no relógio que marca os dias da evolução da humanidade.
Se outros povos atestaram o progresso, pelas expressões materializadas e transitórias, o Brasil terá a sua expressão imortal na vida do Espírito, representando a fonte de um pensamento novo, sem as ideologias de separatividade, e inundando todos os campos das atividades humanas com uma nova luz. [...] Peçamos a Deus que inspire os homens públicos, atualmente no leme da Pátria do Cruzeiro, e que, nesta hora amarga em que se verifica a inversão de quase todos os valores morais, no seio das oficinas humanas, saibam eles colocar muito alto a magnitude dos seus precípuos deveres. [...]
E quanto a nós outros, que Deus nos fortaleça, inspire e abençoe, sustentando-nos nos embates que a vida nos oferece como oportunidade de crescimento intelecto-moral."🔵
_______________
Texto disponível em: http://www.souleitorespirita.com.br
/reformador/destaque/coracao-do-mundo-patria-do-evangelho/.
Acesso em: 07/maio/2015.
Imagem: www.google.com; Acesso em: 21/maio/2015.
Formatação atualizada em: 23/julho/2018.

A CHAVE DE LUZ

Pelo Espírito Emmanuel
'... Indispensável saibas abrir as portas dos corações para que te não falte concurso às construções da existência ...' 
Lembra-te de que ninguém avança sem companhia.
Toda obra pede auxílio e cooperação. A árvore protege a fonte, tanto quanto a fonte alimenta a árvore. O pão que extingue a fome é filho da compaixão do solo que nutriu a semente, da renúncia da semente que germinou para o sol e da força do sol que amparou a terra obscura e sustentou a semente frágil.
Assim também, vida afora, nas empresas que o mundo te conferiu, não prescindirás de braços amigos que te estendam socorro e fraternidade.
Todavia, não basta exponhas a outrem as necessidades que te afligem, nem vale te desmandes na queixa, encarecendo perante alheios ouvidos a angústia de teus problemas, a fim de que a verdadeira amizade se te revele, eficiente e prestigiosa.
Indispensável saibas abrir as portas dos corações, para que te não falte concurso às construções da existência. Corações que, muitas vezes, jazem trancados na avareza, afogados no vinagre da aflição ou deprimidos nos espinheiros do sofrimento. Corações que padecem a flagelação do egoísmo, a paralisia do orgulho, o desvario da vaidade, a chaga da ignorância e o assalto do desalento.
Não te impressione, porém, a seara da treva em que se mergulham. Quase todos esperam apenas a chave de luz que lhes descerre a passagem da noite para o dia, para a luz da libertação. Avizinha-te deles com ternura e bondade, sem agravar-lhes a dor. Desvenda-lhes o próprio ser, em forma de compreensão e serviço e todos virão ao teu encontro, sustentando-te os passos na tarefa a que te impuseste na vida, porque, em verdade, é da lei do Senhor que alma alguma resista ao toque da humildade com a chave da gentileza.🔵
__________________________________
Do livro: "Linha Duzentos" – Francisco Cândido Xavier – Espírito Emmanuel.
Imagem: www.morguefile.com/. Acesso em: 14/junho/2015.
Destaques: pelo editor do Blog.
Formatação atualizada em: 23/julho/2018. 

quinta-feira, 19 de julho de 2018

A ÁRVORE PRECIOSA

Espírito Neio Lúcio

'...Os talentos do Pai foram concedidos aos filhos, indistintamente, para que aprendam a desfrutar os dons eternos, com entendimento e harmonia...'

Salientando o Senhor que a construção do Reino Divino seria obra de união fraternal entre todos os homens de boa-vontade, o velho Zebedeu, que amava profundamente os apólogos do Cristo, pediu-lhe alguma narrativa simbólica, através da qual a compreensão se fizesse mais clara entre todos.
Jesus, benévolo como sempre, sorriu e contou:
— Viviam os homens em permanentes conflitos, acompanhados de miséria, perturbação e sofrimento, quando o Pai compadecido lhes enviou um mensageiro, portador de sublimes sementes da Árvore da Felicidade e da Paz. Desceu o anjo com o régio presente e,congregando os homens para a entrega festiva, explicou-lhes que o vegetal glorioso produziria flores de luz e frutos de ouro, no futuro, apagando todas as dissensões, mas reclamava cuidados especiais para fortalecer-se. Em germinando, era imprescindível a colaboração de todos, nos cuidados excepcionais do amor e da vigilância.
As sementes requeriam terra conveniente, aperfeiçoado sistema de irrigação, determinada classe de adubo, proteção incessante contra insetos daninhos e providências diversas, nos tempos laboriosos do início; a planta, contudo, era tão preciosa em si mesma que bastaria um exemplar vitorioso para que a paz e a felicidade se derramassem, benditas, sobre a comunidade em geral. Seus ramos abrigariam a todos, seu perfume envolveria a Terra em branda harmonia e seus frutos, usados pelas criaturas, garantiriam o bem-estar do mundo inteiro.
Finda a promessa e depois de confiadas ao povo as sementes milagrosas, cada circunstante se retirou para o domicílio próprio, sonhando possuir, egoisticamente, a árvore das flores de luz e dos frutos de ouro. Cada qual pretendia a preciosidade para si, em caráter de exclusividade. Para isso, cerraram-se, apaixonadamente, nas terras que dominavam, experimentando a sementeira e suspirando pela posse pessoal e absoluta de semelhante tesouro, simplesmente por vaidade do coração.
A árvore, todavia, a fim de viver, reclamava concurso fraterno total, e os atritos ruinosos continuaram.
As sementes, pela natureza divina que as caracterizava, não se perderam; entretanto, se alguns cultivadores possuíam água, não possuíam adubo e os que retinham o adubo não dispunham de água farta. Quem detinha recursos para defender-se contra os vermes, não encontrava acesso à gleba conveniente e quem se havia apoderado do melhor solo não contava com possibilidades de vigilância. E tanto os senhores provisórios da água e do adubo, da terra e dos elementos defensivos, quanto os demais candidatos à posse da riqueza celeste, passaram a lutar, em desequilíbrio pleno, exterminando-se reciprocamente.
O Mestre fez longo intervalo na curiosa narrativa e acrescentou:
— Este é o símbolo da guerra improfícua dos homens em derredor da felicidade. Os talentos do Pai foram concedidos aos filhos, indistintamente, para que aprendam a desfrutar os dons eternos, com entendimento e harmonia. Uns possuem a inteligência, outros a reflexão; uns guardam o ouro da terra, outros o conhecimento sublime; alguns retêm a autoridade, outros a experiência; todavia, cada um procura vencer sozinho, não para disseminar o bem com todos, através do heroísmo na virtude, mas para humilhar os que seguem à retaguarda.
E fitando Zebedeu, de modo significativo, finalizou:
— Quando a verdadeira união se fizer espontânea, entre todos os homens no caminho redentor do trabalho santificante do bem natural, então o Reino do Céu resplandecerá na Terra, à maneira da árvore divina das flores de luz e dos frutos de ouro.
O velho galileu sorriu, satisfeito, e nada mais perguntou.🔵
 ___________________________
Do livro "Jesus no Lar", pelo Espírito Neio Lucio,
psicografado por Chico Xavier, 36ª ed. FEB, 2008, lição 46.
Imagem:www.google.com. Acesso em: 19/setembro/2016.
Destaques:pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em: 18/julho/2018.

terça-feira, 17 de julho de 2018

CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA - LIGAÇÕES GRATUITAS



Desde o dia 1º de julho todas as ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV) por meio do número 188 são gratuitas em todo o território nacional. 

O CVV é uma associação sem fins lucrativos que faz atendimentos, por meio de voluntários, para prevenção ao suicídio. As ligações são sigilosas. O Centro de Valorização da Vida também tem outros canais de atendimento que podem ser conferidos no site: www.cvv.org.br

A Federação Espírita Brasileira lançou em setembro de 1993 a Campanha “Em Defesa da Vida – Suicídio, não!” O material está disponível para download no portal da FEB e nas plataformas de ebook como Amazon e iBookstore.🔵
___________
Informações/imgem:www.http://www.febnet.org.br/blog/geral/
movimento-espirita/conselho-federativo-nacional-
movimento-espirita/opusculos-campanhas/.

Acesso em: 17/julho/2018.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

QUE FAZEMOS DO MESTRE?

Pelo Espírito Emmanuel

'...Não basta fazer do Cristo Jesus o benfeitor que cura e protege. É indispensável transformá-lo em padrão permanente da vida, por exemplo e modelo de cada dia...'

Nos círculos do Cristianismo, a pergunta de Pilatos ["Que farei então de Jesus, chamado o Cristo?" - Pilatos. (MATEUS, 27:22.)reveste-se de singular importância.
Que fazem os homens do Mestre Divino, no campo das lições diárias?
Os ociosos tentam convertê-lo em oráculo que lhes satisfaça as aspirações de menor esforço.
Os vaidosos procuram transformá-lo em galeria de exibição, através da qual façam mostruário permanente de personalismo inferior.
Os insensatos chamam-no indebitamente à aprovação dos desvarios a que se entregam, a distância do trabalho digno.
Grandes fileiras seguem-lhe os passos, qual a multidão que o acompanhava, no monte, apenas interessada na multiplicação de pães para o estômago.
Outros se acercam dEle, buscando atormentá-lo, à maneira dos fariseus arguciosos, rogando "sinais do céu".
Numerosas pessoas visitam-no, imitando o gesto de Jairo, suplicando bênçãos, crendo e descrendo ao mesmo tempo.
Diversos aprendizes ouvem-lhe os ensinamentos, ao modo de Judas, examinando o melhor caminho de estabelecerem a própria dominação.
Vários corações observam-no, com simpatia, mas, na primeira oportunidade, indagam, como a esposa de Zebedeu, sobre a distribuição dos lugares celestes.
Outros muitos o acompanham, estrada a fora, iguais a inúmeros admiradores de Galiléia, que lhe estimavam os benefícios e as consolações, detestando-lhe as verdades cristalinas.
Alguns imitam os beneficiários da Judéia, a levantarem mãos-postas no instante das vantagens, e a fugirem, espavoridos, do sacrifício e do testemunho.
Grande maioria procede à moda de Pilatos que pergunta solenemente quanto ao que fará de Jesus e acaba crucificando-o, com despreocupação do dever e da responsabilidade.Poucos imitam Simão Pedro que, após a iluminação no Pentecostes, segue-o sem condições até à morte.
Raros copiam Paulo de Tarso que se ergue, na estrada do erro, colocando-se a caminho da redenção, através de impedimentos e pedradas, até ao fim da luta.
Não basta fazer do Cristo Jesus o benfeitor que cura e protege. É indispensável transformá-lo em padrão permanente da vida, por exemplo e modelo de cada dia.🔵
______________
(Do livro "Pão Nosso", de Emmanuel, psicografado
por Chico Xavier. Lição n° 100. 16ª Ed. FEB. 1994.).
Imagem: httppt.walls321.comjesus-cristo-deus-amor.
Acesso em:19/agosto/2016.
Destaques:pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em:19/junho/2018. 

quarta-feira, 4 de julho de 2018

A TEMPESTADE E A FÉ


"E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram; E eis que no mar se levantou uma tempestade, tão grande que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos! que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?"
É certo que o mundo, neste momento, passa por grandes aflições. Desencarnes coletivos, conflitos de toda ordem, revoluções geológicas com imensas repercussões no meio ambiente, entre outros graves acontecimentos. É um tempo de dor.

Meditando em tudo isso, lembrando-nos da tempestade enfrentada pelos apóstolos, há dois mil anos. Conta a passagem bíblica que, diante do quadro assustador, os apóstolos “acordaram” Jesus que, aparentemente, “dormia”, rogando-Lhe ajuda. O Mestre, então, levanta-se e, de imediato, deplora a falta de fé dos companheiros. Em seguida, numa clara demonstração da potência do seu Espírito Purificado, domina os elementos e acalma a tempestade.

Ontem, o barco dos apóstolos. Hoje, intenso vendaval, que nos alcança de todas as formas, exigindo fé robusta, muita confiança e perseverança no Bem.

Mas há milênios estamos sendo preparados para os testemunhos desta hora. Ecoa, ainda, em nossa alma, a Mensagem consoladora do Mestre - Bem-aventurados os que têm sede e fome de justiça”; Não se turbe o vosso coração”; “Bem-aventurados os aflitos”.

Nada acontece sem que Deus permita. Ele a tudo comanda e a tudo provê, de acordo com os Seus insondáveis desígnios, num tempo, entretanto, que não nos cabe inquirir.

Torna-se fundamental, agora, o exercício da Fé e da Confiança. Mas de maneira que possa transportar para o cotidiano as lições milenares já estudadas e compreendidas. O tempo é amigo de quem age. Crer também é realizar. Esta é a hora do testemunho. O século das transformações se esvai e clama por atitudes que nos elevem a um novo patamar no concerto dos mundos.

Sentimos, neste momento, os embates assustadores da procela que varre o planeta, em plena transição.  Mas Jesus, o Governador da Terra, não dorme "Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?"

Coragem! Façamos a nossa parte, laborando em prol do equilíbrio geral, vigiando, orando e perseverando no Bem.  O Mestre dissipará os nossos temporais.

Otimismo e confiança! Uma nova Terra surgirá, regenerada, onde reinarão a Paz e a Justiça.🔵
Francisco.
______________
Imagem: www.google.com. Acesso em:02/julho/2018.

domingo, 1 de julho de 2018

DEUS PERMANECE

Pelo Espírito Joanna de Ângelis

'...A tua vida escreve páginas que irão influenciar outras vidas, nelas permanecendo como exemplos, estímulos ou derrotas...'

Jamais abandono, solidão, infortúnio.
Deus permanece contigo.
Ele é o fulcro gerador de poder, em torno do qual tudo e todos gravitam.
Dele é a linguagem positiva, atuando a distância, no equilíbrio cósmico, na força de atração das moléculas.
Magneticamente a Ele atraídos, estamos associados uns com os outros na grande obra de regeneração.
Sua ação se expande e produz efeitos que se devem realizar através dos fenômenos vivos da Natureza.
Quando as circunstâncias se apresentam aziagas, fomentando sombras e amarguras, quando as enfermidades predominem, diminuindo as resistências; quando as necessidades se multipliquem em turbilhão de inquietudes; quando os apodos invistam sem piedade e todos se tenham ido, Deus permanece contigo.
Quando um homem cai, há um distúrbio no equilíbrio universal.
Quando ele se reergue e avança, a harmonia sideral se reorganiza.
Tu és um cosmo no Universo, e as leis que te regem o destino impõem-te a gravitação harmônica em torno do Astro-Rei.
Deus aí permanece.
Condutores orientam o passo.
Mestres conduzem o ensino.
Leis governam a vida.
A tua vida escreve páginas que irão influenciar outras vidas, nelas permanecendo como exemplos, estímulos ou derrotas.
Deus permanece sempre guiando-te e fortalecendo-te para o fanal feliz.
Não o duvides, nem o desconsideres.
Descobre-O, pois que Ele permanece contigo.🔵
___________
Psicografia de Divaldo Pereira Franco, em 31.03.2011.
Destaques pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada: 01/julho/2018.