terça-feira, 28 de novembro de 2017

AMIZADE

Pelo Espírito Emmanuel
"Poderemos obter uma definição da amizade?" 
"R - Na gradação dos sentimentos humanos, a amizade sincera é bem o oásis de repouso para o caminheiro da vida, na sua jornada de aperfeiçoamento. 
Quem sabe ser amigo verdadeiro é, sempre, o emissário da ventura e da paz, alistando-se nas fileiras dos discípulos de Jesus, pela iluminação natural do espírito que, conquistando as mais vastas simpatias entre os encarnados e as entidades bondosas do Invisível, sabe irradiar por toda parte as vibrações dos sentimentos purificadores. 
Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida. 
Jesus é o Divino Amigo da Humanidade. 
Saibamos compreender a sua afeição sublime e transformaremos os nossos ambientes afetivos num oceano de paz e consolação perenes.” 🔵
____________________________ 
(Do livro “O Consolador”. Pelo Espírito Emmanuel. Médium Francisco Cândido Xavier.
11ª Ed. FEB.1985: Questão 174 - p.106/107.Grifos do Blog).
Imagem: www.google.com. Acesso em: 10/dezembro/2015.
Formatação atualizada em: 28/novembro/2017.

domingo, 26 de novembro de 2017

O NECESSÁRIO

Pelo Espírito Emmanuel
'... acima de tudo, compete-nos guardar, dentro de nós mesmos, uma atitude adequada, ante os desígnios do Todo-Poderoso...' 
Terás muitos negócios próximos ou remotos, mas não poderás subtrair-lhes o caráter de lição, porque a morte te descerrará realidades com as quais nem sonhas de leve...
Administrarás interesses vários, entretanto, não poderás controlar todos os ângulos do serviço, de vez que a maldade e a indiferença se insinuam em todas as tarefas, prejudicando o raio de ação de todos os missionários da elevação.
Amealharás enorme fortuna, todavia, ignorarás, por muitos anos, a que região da vida te conduzirá o dinheiro.
Improvisarás pomposos discursos, contudo, desconheces as conseqüências de tuas palavras.
Organizarás grande movimento em derredor de teus passos, no entanto, se não construíres algo dentro deles para o bem legítimo, cansar-te-ás em vão.
Experimentarás muitas dores, mas, se não permaneceres vigilante no aproveitamento da luta, teus dissabores correrão inúteis.
Exaltarás o direito com o verbo indignado e ardoroso, todavia, é provável não estejas senão estimulando a indisciplina e a ociosidade de muitos.
"Uma só coisa é necessária", asseverou o Mestre, em sua lição a Marta, cooperadora dedicada e ativa.
Jesus desejava dizer que, acima de tudo, compete-nos guardar, dentro de nós mesmos, uma atitude adequada, ante os desígnios do Todo-Poderoso, avançando, segundo o roteiro que nos traçou a Divina Lei. Realizado esse "necessário", cada acontecimento, cada pessoa e cada coisa se ajustarão, a nossos olhos, no lugar que lhes é próprio. Sem essa posição espiritual de sintonia com o Celeste Instrutor, é muito difícil agir alguém com proveito.🔵 

"Mas uma só coisa é necessária." - Jesus. (LUCAS, 10:42.)
______________________________________
(Do livro Vinha de Luz, psicografado por Francisco Cândido Xavier -
Lição nº 3 - pág. 9 - Edição Internet baseada na 14ª edição. FEB; 
Imagem: www.morguefile.com. Acesso em: 17/dezembro/2013.
Formatação atualizada em: 26/novembro/2017.
🔶
Um breve comentário:

“E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. (Lucas 10:38-42”)

Na busca da perfeição vivemos afadigados com a necessidade cada vez mais premente de realizar, controlar, produzir, ocupados que estamos em manter o sistema - essa ‘entidade’ sem rosto e sem alma que nos sujeita a ponto de quase nos anular.

São exigências do momento, reconhecemos, mas  temos que agir sempre de modo que não entremos no giro vertiginoso dessa engrenagem, e percamos a noção do que realmente importa: como e aonde queremos chegar.

Nem tudo está a nosso alcance. Não podemos ser “mais realistas que  o rei”. Podemos muito, mas não podemos tudo. Somente Deus o pode.

De nossa parte, compete-nos, "acima de tudo, guardar, dentro de nós mesmos, uma atitude adequada, ante os desígnios do Todo-Poderoso, avançando, segundo o roteiro que nos traçou a Divina Lei.”.

E acrescentamos: fiquemos com a “boa parte” do que a vida ora nos oferece, os "tesouros" que podemos levar em nossa viagem ao Plano Espiritual - os dons do espírito, que as “traças não podem exterminar”. 🔶
Francisco.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

NOS DIAS DIFÍCEIS

Pelo Espírito Emmanuel
'... Nas dificuldades em andamento, considera as dificuldades que já venceste e compreenderás que Deus, cujo infinito amor te sustentou ontem, sustentará também hoje...'
Nos dias difíceis, reflete nos outros dias difíceis que já se foram.
Depois de atravessados transes e lutas que supunhas insuperáveis, não soubeste explicar a ti mesmo de que modo os venceste e de que fontes hauriste as forças necessárias para te sustentares e refazeres, durante e depois das refregas sofridas.
Viste a doença no ente amado assumir gravidade estranha e sem que lograsses penetrar o fenômeno em todos os detalhes, surgiu a medicação ou a providência ideais que o arrebataram da morte.
Experimentaste a visitação do desânimo, à frente dos obstáculos que te gravaram a vida, mas sem que te desses conta do amparo recebido, largaste o desalento das trevas e regressaste à luz da esperança.
Crises do sentimento que se te afiguravam invencíveis, pelo teor de angústia com que te alcançaram o imo da alma, desapareceram como por encanto sem que conseguisses definir a intervenção libertadora que te restituiu à
Sofreste a ausência de seres imensamente queridos, chamados pela desencarnação, por tarefas inadiáveis, a outras faixas de experiência. No entanto, sem que dependesses qualquer esforço, outras almas abençoadas apareceram, passando a nutrir-te o coração com edificante apoio afetivo.
Tudo isso, entretanto, sucedeu porque persististe na fé, aguardando e confiando, trabalhando e servindo, sem te entregares à deserção ou à derrota, ofertando ensejo à Bondade de Deus para agir em teu be
Nas dificuldades em andamento, considera as dificuldades que já venceste e compreenderás que Deus, cujo infinito amor te sustentou ontem, sustentará também hoje.
Para isso, porém, é imperioso permanecermos fiéis ao cumprimento de nossas obrigações, de vez que a paciência, no centro delas, é o dom de esperar por Deus, cooperando com Deus sem atrapalhar.🔵
_______________________________________________________
Médium: Francisco Cândido Xavier e J. Herculano Pires
Livro: Chico Xavier Pede Licença – GEEM Produção e Distribuição: Grupo Espírita 
Os Mensageiros” - http://www.mensageiros.org.br/
Imagem: Cristo Redentor - foto Ivo Gonzalez - O Globo. Acesso em: 12/outubro/2011.
Formatação atualizada em: 24/novembro/2017.

EXAMINEMOS A NÓS MESMO

Pelo Espírito André Luiz
'...Não te iludas! Um dia que se foi é mais uma cota de responsabilidade, mais um passo rumo à Vida Espiritual, mais uma oportunidade valorizada ou perdida...'

O dever do espírita-cristão é tornar-se progressivamente melhor.
Útil, assim, verificar, de quando em quando, com rigoroso exame pessoal, a nossa verdadeira situação íntima.
Espírita que não progride durante três anos sucessivos permanece estacionário.
Testa a paciência própria: - Estás mais calmo, afável e compreensivo?
Inquire as tuas relações na experiência doméstica: - Conquistaste mais alto clima de paz dentro de casa?
Investiga as atividades que te competem no templo doutrinário: - Colaboras com mais euforia na seara do Senhor?
Observa-te nas manifestações perante os amigos: - Trazes o Evangelho mais vivo nas atitudes?
Reflete em tua capacidade de sacrifício: - Notas em ti mesmo mais ampla disposição de servir voluntariamente?
Pesquisa o próprio desapego: - Andas um pouco mais livre do anseio de influência e de posses terrestres?
Usas mais intensamente os pronomes "nós", "nosso" e "nossa" e menos os determinativos "eu", "meu" e "minha"?
Teus instantes de tristeza ou de cólera surda, às vezes tão conhecidos somente por ti, estão presentemente mais raros?
Diminuíram-te os pequenos remorsos ocultos no recesso da alma?
Dissipaste antigos desafetos e aversões?
Superastes os lapsos crônicos de desatenção e negligência?
Estudas mais profundamente a Doutrina que professas?
Entendes melhor a função da dor?
Ainda cultivas alguma discreta desavença?
Auxilias aos necessitados com mais abnegação?
Tens orado realmente?
Teus ideais evoluíram?
Tua fé raciocinada consolidou-se com mais segurança?
Tens o verbo mais indulgente, os braços mais ativos e as mãos mais abençoadoras?
Evangelho é alegria no coração: - Estás, de fato, mais alegre e feliz intimamente, nestes três últimos anos?
Tudo caminha! Tudo evolui! Confiramos o nosso rendimento individual com o Cristo!
Sopesa a existência hoje, espontaneamente, em regime de paz, para que te não vejas na obrigação de sopesá-la amanhã sob o impacto da dor.
Não te iludas! Um dia que se foi é mais uma cota de responsabilidade, mais um passo rumo à Vida Espiritual, mais uma oportunidade valorizada ou perdida.
Interroga a consciência quanto à utilidade que vens dando ao tempo, à saúde e aos ensejos de fazer o bem que desfrutas na vida diária.
Faze isso agora, enquanto te vales do corpo humano, com a possibilidade de reconsiderar diretrizes e desfazer enganos facilmente, pois, quando passares para o lado de cá, muita vez, já será mais difícil...🔵
________________________
(Do livro ”Opinião Espírita”, ditado pelos Espíritos Emmanuel e
André Luiz aos médiuns Chico Xavier e Waldo Vieira.
Editado pela CEC. Comunhão Espírita Cristã. 7ª Ed. 1990. Cap. 1. p. 19 a 21.)
(Livro dos Espíritos - Questão 919)
Imagem: www.makesweet.com. Acesso em: 08/fevereiro/2012.
Formatação atualizada em: 24/novembro/2017.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

AS MARCAS DO CRISTO

Pelo Espírito Emmanuel
'...As marcas do Cristo não são apenas as da cruz, mas também as de sua atividade na experiência comum...'
Todas as realizações humanas possuem marca própria.
Casas, livros, artigos, medicamentos, tudo exibe um sinal de identificação aos olhos atentos.
Se medida semelhante é aproveitada na lei de uso dos objetos transitórios, não se poderia subtrair o mesmo princípio, na catalogação de tudo o que se refira à vida eterna.
Jesus possui igualmente os sinais dEle.
A imagem utilizada por Paulo de Tarso, em suas exortações aos gálatas, pode ser mais extensa.
As marcas do Cristo não são apenas as da cruz, mas também as de sua atividade na experiência comum.
Em cada situação, o homem pode revelar uma demonstração do Divino Mestre.
Jesus forneceu padrões educativos em todas as particularidades da sua passagem pelo mundo. O Evangelho no-lo apresenta nos mais diversos quadros, junto ao trabalho, à simplicidade, ao pecado, à pobreza, à alegria, à dor, a glorificação e ao martírio. Sua atitude, em cada posição da vida, assinalou um traço novo de conduta para os aprendizes.
Todos os dias, portanto, o discípulo pode encontrar recursos de salientar suas ações mais comuns com os registros de Jesus.
Quando termine cada dia, passa em revista as pequeninas experiências que partilhaste na estrada vulgar. Observa os sinais com que assinalaste os teus atos, recordando que a marca do Cristo é, fundamentalmente, aquela do sacrifício de si mesmo para o bem de todos. 🔵

"Desde agora ninguém me moleste, porque
trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus."
(Paulo - Gálatas, 6:17.)
______________________________
("Vinha de Luz" - Emmanuel / F.C.Xavier.
14ª edição. FEB. Lição n.º 08: "Marcas".)
Imagem: www.google.com . Acesso em: 23/agosto/2015.
.Destaques: pelo  editor do Blog.
Formatação atualizada em: 20/novembro/2017.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

FACULDADES MEDIÚNICAS

Pelo Espírito Emmanuel
'...Cada médium é mobilizado na obra do bem, conforme as possibilidades de que dispõe...'
Há diversidade de dons espirituais, mas a Espiritualidade é a mesma.
Há diversidade de ministérios, mas é o mesmo Senhor que a todos administra.
Há diversidade de operações para o bem; todavia, é a mesma Lei de Deus que tudo opera em todos.
A manifestação espiritual, porém, é distribuída a cada um para o que for útil.
Assim é que a um, pelo espírito, é dada a palavra da sabedoria divina e a outro, pelo mesmo espírito, a palavra da ciência humana.
A outro é confiado o serviço da fé e a outro o dom de curar.
A outro é concedida a produção de fenômenos, a outro a profecia, a outro a faculdade de discernir os Espíritos, a outro a variedade das línguas e ainda a outro a interpretação dessas mesmas línguas.
No entanto, o mesmo poder espiritual realiza todas essas coisas, repartindo os seus recursos particularmente a cada um, como julgue necessário.”
Quem analise despreocupadamente o texto acima, decerto julgará estar lendo moderno autor espírita, definindo o problema da mediunidade; contudo, as afirmações que transcrevemos saíram do punho do apóstolo Paulo, há dezenove séculos, e constam no capítulo doze de sua primeira carta aos coríntios.
Como é fácil de ver, a consonância entre o Espiritismo e o Cristianismo ressalta, perfeita, em cada estudo correto que se efetue, compreendendo-se na mensagem de Allan Kardec a chave de elucidações mais amplas dos ensinos de Jesus e dos seus continuadores.
Cada médium é mobilizado na obra do bem, conforme as possibilidades de que dispõe.
Esse orienta, outro esclarece; esse fala, outro escreve; esse ora, outro alivia.
Em mediunidade, portanto, não te dês à preocupação de admirar ou provocar admiração.
Procuremos, acima de tudo, em favor de nós mesmos, o privilégio de aprender e o lugar de servir. 🔵
______________________________________
Do livro ‘Seara dos  Médiuns, ditado pelo Espírito Emmanuel,
psicografado por Chico Xavier. 4ª ed. FEB. 1983.
Reunião pública de 01/07/60. Questão nº 159. págs. 145/146.
Imagem: www.google.com. Acesso em:14/abril/2012.
Destaques: pelo editor do Blog.
Formatação atualizada em: 20/novembro/2017.

domingo, 19 de novembro de 2017

PERDÃO E NÓS

Pelo Espírito Emmanuel
'... Perdão não é recurso tão somente aplicável nas grandes dores morais, à feição do traje a rigor, unicamente usado em horas de cerimônia ...'
Habitualmente, consideramos a necessidade do perdão apenas quando alvejados por ofensas de caráter público, no intercurso das quais recebemos tantos testemunhos de solidariedade, na esfera dos amigos, que nos demoramos hipnotizados pelas manifestações afetivas, a deixar-nos em mérito duvidoso.

A ciência do perdão, todavia, tão indispensável ao equilíbrio, quanto o ar é imprescindível à existência, começa na compreensão e na bondade, perante os diminutos pesares do mundo íntimo.

Não apenas desculpar todos os prejuízos e desvantagens, insultos e desconsiderações maiores que nos atinjam a pessoa, mas suportar com paciência e esquecer completamente, mesmo nos comentários mais simples, todas as pequeninas injustiças do cotidiano, como seja:

a observação maliciosa; a referência pejorativa; o apelo sem resposta; a gentileza recusada; o benefício esquecido; o gesto áspero; a voz agressiva; a palavra impensada; o sorriso escarnecedor; o apontamento irônico; a indiscrição comprometedora; o conceito deprimente; a acusação injusta; a omissão injustificável; o comentário maledicente; a desfeita inesperada; o menosprezo em família; a preterição sob qualquer aspecto; o recado impiedoso...

Não nos iludamos em matérias de indulgência.

Perdão não é recurso tão somente aplicável nas grandes dores morais, à feição do traje a rigor, unicamente usado em horas de cerimônia. Todos somos suscetíveis de erro e, por isso mesmo, perdão é serviço de todo o instante, mas assim como o compositor não obtém a sinfonia sem passar pelo solfejo, o perdão não existe, de nossa parte, ante os agravos grandes, se não aprendemos a relevar as indelicadezas pequenas. 🔵
_____________
Do livro ‘Estude e Viva’, ditado pelos Espíritos Emmanuel
e André Luiz, psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira.

4ª ed. FEB. 1978. Cap. 33. págs. 188/189.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 10/janeiro/2014.
Formatação atualizada em: 18/novembro/2017.

sábado, 18 de novembro de 2017

NUVENS

Pelo Espírito Emmanuel
'...A existência terrestre, efetivamente, impõe angústias inquietantes e aflições amargosas. É conveniente, contudo, que as criaturas guardem serenidade e confiança, nos momentos difíceis...'
O homem, quase sempre, tem a mente absorvida na contemplação das nuvens que lhe surgem no horizonte. São nuvens de contrariedades, de projetos frustrados, de esperanças desfeitas.Por vezes, desespera-se envenenando as fontes da própria vida. 
Desejaria, invariavelmente, um céu azul a distância, um Sol brilhante no dia e luminosas estrelas que lhe embelezassem a noite. 
No entanto, aparece a nuvem e a perplexidade o toma, de súbito. 
Conta-nos o Evangelho a formosa história de uma nuvem. 
Encontravam-se os discípulos deslumbrados com a visão de Jesus transfigurado, tendo junto de si Moisés e Elias, aureolados de intensa luz. 
Eis, porém, que uma grande sombra comparece. Não mais distinguem o maravilhoso quadro. 
Todavia, do manto de névoa espessa, clama a voz poderosa da revelação divina: “Este é o meu amado Filho, a ele ouvi!” 
Manifestava-se a palavra do Céu, na sombra temporária. 
A existência terrestre, efetivamente, impõe angústias inquietantes e aflições amargosas. É conveniente, contudo, que as criaturas guardem serenidade e confiança, nos momentos difíceis. 
As penas e os dissabores da luta planetária contêm esclarecimentos profundos, lições ocultas, apelos grandiosos. A voz sábia e amorosa de Deus fala sempre através deles.🔵
“E saiu da nuvem uma voz que dizia:
Este é o meu amado Filho, a ele ouvi.” (LUCAS, 9: 35.)
🔸
________________________
(Do livro "Caminho, Verdade Vida" - F.C.Xavier.
Espírito Emmanuel.Cap. 32.14ª ed. FEB.1990.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 25/abril/2013.
Formatação atualizada em: 18/novembro/2017.

NA MEDITAÇÃO

Pelo Espírito Emmanuel
'...Concentra-te, por alguns minutos, em companhia do Cristo, no barco de teus pensamentos mais puros, sobre o mar das preocupações cotidianas...'
Tuas mãos permanecem extenuadas por fazer e desfazer. 
Teus olhos, naturalmente, estão cheios da angústia recolhida nas perturbações ambientes. 
Doem-te os pés nas recapitulações dolorosas. 
Teus sentimentos vão e vêm, através de impulsos tumultuários, influenciados por mil pessoas diversas. 
Tens o coração atormentado. 
É natural. Nossa mente sofre sede de paz, como a terra seca tem necessidade de água fria. 
Vem a um lugar à parte, no país de ti mesmo, a fim de repousar um pouco. 
Esquece as fronteiras sociais, os controles domésticos, as incompreensões dos parentes, os assuntos difíceis, os problemas inquietantes, as idéias inferiores. 
Retira-te dos lugares comuns a que ainda te prendes. 
Concentra-te, por alguns minutos, em companhia do Cristo, no barco de teus pensamentos mais puros, sobre o mar das preocupações cotidianas... 
Ele te lavará a mente eivada de aflições. 
Balsamizará tuas úlceras. 
Dar-te-á salutares alvitres. 
Basta que te cales e sua voz falará no sublime silêncio. 
Oferece-lhe um coração valoroso na fé e na realização, e seus braços divinos farão o resto. 
Regressarás, então, aos círculos de luta, revigorado, forte e feliz. 
Teu coração com Ele, a fim de agires, com êxito, no vale do serviço. 
Ele contigo, para escalares, sem cansaço, a montanha da luz.🔵
E foram sós num barco para um lugar deserto.” -
(MARCOS, capítulo 6, versículo 32.)
🔸
___________________
(Do livro “Caminho, Verdade e Vida”, de Emmanuel,
psicografado por Chico Xavier, 14ª Ed. FEB. 1990. Lição nº 168.)
Imagem: www.google.com. Acesso em:18/agosto/2016.
Formatação atualizada em: 18/novembro/2017.

CURA ESPIRITUAL


Pelo Espírito André Luiz

Comece orando.
A prece é luz na sombra em que a doença se instala.
*
Semeie alegria.
A esperança é alegria no coração.
*
Fuja da impaciência.
Toda irritação é desastre magnético de consequências imprevisíveis.
*
Guarde confiança.
A dúvida deita raios de morte.
*
Não critique.
A censura é choque nos agentes da afinidade.
*
Conserve brandura.
A palavra agressiva prende o trabalho na estaca zero.
*
Não se escandalize.
O corpo de quem sofre é objeto sagrado.
*
Ajude espontaneamente para o bem.
Simpatia é cooperação.
*
Não cultive os desafetos.
Aversão é calamidade vibratória.
*
Interprete o doente qual se fosse você mesmo.
Toda cura espiritual lança raízes sobre a força do amor.
🔸
________________________________
Do livro ‘O Espírito da Verdade’, ditado pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz,
psicografado por Chico Xavier e Waldo Vieira.1ª ed. FEB. 1962. Lição 53[E.S.E -
Cap. XXVI – Item 01]. págs. 125/126.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 22.08.12.
Formatação atualizada em:18/novembo/2017..

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

'VIGILÂNCIA E FIDELIDADE DA ÚLTIMA HORA'


- Mensagem psicofônica ditada pelo Espírito Bezerra de Menezes ao médium Divaldo Pereira Franco, no encerramento da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional, realizada em Brasília, em 12 de novembro de 2017. Texto revisado pelo autor espiritual -

"Filhos, filhas, todos da alma!
Metamorfoseando-se, o materialismo penetra em todos os ramos do conhecimento humano e as religiões não escapam da sua habilidade camaleônica, permitindo-se os métodos perturbadores das necessidades corporais do ser humano no seu processo de evolução.
Indispensável a vigilância para não nos deixarmos engambelar pelas sereias sedutoras nos seus cânticos que fascinam, entorpecem e aniquilam a esperança.
Jesus, não poucas vezes, teve que enfrentar a argúcia do materialismo disfarçado, das manifestações farisaicas que se apresentavam vestidas de traje impecável quais sepulcros de branco caiados, ocultando cadáveres em decomposição.
Allan Kardec, não poucas vezes, viu-se sitiado pelas manobras maniqueístas do Mundo Espiritual inferior através de companheiros da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, sendo, no entanto, fiéis aos postulados do Espírito de Verdade.
Na atualidade, de sofreguidão e de tormento, o ser humano procura uma forma de escapar das provações necessárias ao seu processo evolutivo, e não raro são atraídas essas almas para as propostas equivocadas do deus Mamon, e Mamon deísta que fascina, embriaga os invigilantes e os precipitados." [...]

--------------------------------------------------------------------
Leia, na íntegra,
esta importantíssima e esclarecedora
mensagem do Venerável Espírito Bezerra de Menezes!
---------------------------------------------------------------------

terça-feira, 14 de novembro de 2017

O GRANDE FUTURO

Pelo Espírito Emmanuel
'... Não nos cabe, pois, a deserção pela atitude contemplativa e, sim, avançar, confiantemente, para o grande futuro...'
Desde os primórdios do Cristianismo, observamos aprendizes que se retiram deliberadamente do mundo, alegando que o Reino do Senhor não pertence à Terra.
Ajoelham-se, por tempo indeterminado, nas casas de adoração, e acreditam efetuar na fuga a realização da santidade.
Muitos cruzam os braços à frente dos serviços de regeneração e, quando interrogados, expressam revolta pelos quadros chocantes que a experiência terrena lhes oferece, reportando-se ao Cristo, diante de Pilatos, quando o Mestre asseverou que o seu reino ainda não se instalara nos círculos da luta humana.
No entanto, é justo ponderar que o Cristo não deserdou o planeta. A palavra dEle não afiançou a negação absoluta da felicidade celeste para a Terra, mas apenas definiu a paisagem então existente, sem esquecer a esperança no porvir.
O Mestre esclareceu: – “Mas agora o meu reino não é daqui.”
Semelhante afirmativa revela-lhe a confiança.
Jesus, portanto, não pode endossar a falsa atitude dos operários em desalento, tão-só porque a sombra se fez mais densa em torno de problemas transitórios ou porque as feridas humanas se fazem, por vezes, mais dolorosas. Tais ocorrências, muita vez, obedecem a pura ilusão visual.
A atividade divina jamais cessa e justamente no quadro da luta benéfica é que o discípulo insculpirá a própria vitória.
Não nos cabe, pois, a deserção pela atitude contemplativa e, sim, avançar, confiantemente, para o grande futuro.
“Mas agora o meu reino não é daqui” – Jesus. (João, 18:36.)
🔹
_________________________
(Do livro "Pão Nosso", de Emmanuel, psicografado por
Chico Xavier. Lição n°133. 16ª Ed. FEB. 1994.).
Imagem: www.google.com . Acesso em: 22/dezembro/2011.
Destaques:pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em:14/novembro/2017. 

A INDULGÊNCIA

'... Sede, pois, severos para convosco, 
indulgentes para com os outros...'
Espíritas, queremos falar-vos hoje da indulgência, sentimento doce e fraternal que todo homem deve alimentar para com seus irmãos, mas do qual bem poucos fazem uso.
A indulgência não vê os defeitos de outrem, ou, se os vê, evita falar deles, divulgá-los. Ao contrário, oculta-os, a fim de que se não tornem conhecidos senão dela unicamente, e, se a malevolência os descobre, tem sempre pronta uma escusa para eles, escusa plausível, séria, não das que, com aparência de atenuar a falta, mais a evidenciam com pérfida intenção.
A indulgência jamais se ocupa com os maus atos de outrem, a menos que seja para prestar um serviço; mas, mesmo neste caso, tem o cuidado de os atenuar tanto quanto possível. Não faz observações chocantes, não tem nos lábios censuras; apenas conselhos e, as mais das vezes, velados. Quando criticais, que conseqüência se há de tirar das vossas palavras? A de que não tereis feito o que reprovais, visto que, estais a censurar; que valeis mais do que o culpado. Ó homens! quando será que julgareis os vossos próprios corações, os vossos próprios pensamentos, os vossos próprios atos, sem vos ocupardes com o que fazem vosso irmãos? Quando só tereis olhares severos sobre vós mesmos?
Sede, pois, severos para convosco, indulgentes para com os outros. Lembrai-vos daquele que julga em última instância, que vê os pensamentos íntimos de cada coração e que, por conseguinte, desculpa muitas vezes as faltas que censurais, ou condena o que relevais, porque conhece o móvel de todos os atos. Lembrai-vos de que vós, que clamais em altas vozes: anátema! tereis, quiçá, cometido faltas mais graves.
Sede indulgentes, meus amigos, porquanto a indulgência atrai, acalma, ergue, ao passo que o rigor desanima, afasta e irrita. José, Espírito protetor. (Bordéus, 1863.)🔵
_____________
("Evangelho Segundo o Espiritismo",
de Allan Kardec, item 16, Cap.X.)
Imagem: www.google.com. Acesso em:20/novembro/2011.
Formatação atualizada em:14/novembro/2017.

'PRA MELHORAR'


domingo, 12 de novembro de 2017

AS SENTINELAS DA LUZ DO SANTUÁRIO

Pelo Espírito Emmanuel
'...A tarefa do Espiritismo está, portanto, adstrita à realização do Homem Interior, dentro de um novo conceito de fraternidade...'
A tempestade avizinha-se nos horizontes políticos e sociais do mundo inteiro.Todas as vozes falam de um perigo iminente e todos os corações sentem algo de estranho no ar que respiram. 
Fala-se no coletivismo, recolhendo-se cada qual no exclusivismo feroz, e fala-se de nacionalismo e de pátria, dentro do mesmo conceito de egoísmo e de isolamento. Esses extremismos caracterizam um período de profunda decadência nos costumes sociais e políticos desta época de transições. 
Apesar, porém, de sua complexidade, esse fenômeno pode ser definido como a angústia generalizada do homem, nas vésperas de abandonar a sua crisálida de cidadão. 
Todos os acontecimentos que abalam o planeta, espalhando nos seus recantos mais remotos uma onda revolucionária e regeneradora, significam o trabalho intenso e difícil da laboriosa gestação do novo organismo de leis pelo qual se regerão, mais tarde, os institutos terrenos. 
Ditadores e extremismos são expressões transitórias dessa fase de experiências dolorosas porque a verdade é que o cidadão da pátria será substituído pelo homem fraterno, irmão dos seus semelhantes e compenetrado dos seus deveres de amor. Muitas dores implicam, por certo, nessa transformação das fórmulas patrióticas da atualidade, mas as democracias avançadas guardam, na sua estrutura, as sementes desse luminoso porvir. 
Todavia, se falamos com respeito a esse assunto, é para dizermos aos nossos irmãos espiritualistas que eles são as sentinelas da Luz do Santuário, à maneira dos antigos heróis que guardavam as primícias do fogo sagrado. 
Na hora das sombras, quando a subversão ameaçar o planeta, compete-lhes fornecer o testemunho de sua fé, como um penhor de segurança para as gerações do futuro. 
A tarefa do Espiritismo está, portanto, adstrita à realização do Homem Interior, dentro de um novo conceito de fraternidade. 
Fora desses princípios, as atividades de cada qual serão como folhas volantes, dentro do seu caráter dispersivo, porque todo o nosso esforço está enquadrado no “amarmo-nos uns aos outros” e é essa fórmula que deverá representar a bússola das atividades dos espiritualistas sinceros, os quais, com os seus abençoados sacrifícios, serão os “engenheiros sociais” dos tempos do porvir. 🔵
______________________________
Do livro 'Esperança e luz'. Espíritos diversos.Psicografado por
Francisco Cândido Xavier. Editora CEU. Digitado por
Rafael Lima: Associação Espírita Casa da Esperança.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 31/dezembro/2015.
Formatação atualizada em: 12/novembro/2017.

A AFABILIDADE E A DOÇURA

'... Aquele cuja afabilidade e doçura não são fingidas nunca se desmente: é o mesmo, tanto em sociedade, como na intimidade ...'
A benevolência para com os seus semelhantes, fruto do amor ao próximo, produz a afabilidade e a doçura, que lhe são as formas de manifestar-se. Entretanto, nem sempre há que fiar nas aparências. A educação e a frequentação do mundo podem dar ao homem o verniz dessas qualidades. Quantos há cuja fingida bonomia não passa de máscara para o exterior, de uma roupagem cujo talhe primoroso dissimula as deformidades interiores!
O mundo está cheio dessas criaturas que têm nos lábios o sorriso e no coração o veneno; que são brandas, desde que nada as agaste, mas que mordem à menor contrariedade; cuja língua, de ouro quando falam pela frente, se muda em dardo peçonhento, quando estão por detrás.
A essa classe também pertencem esses homens, de exterior benigno, que, tiranos domésticos, fazem que suas famílias e seus subordinados lhes sofram o peso do orgulho e do despotismo, como a quererem desforrar-se do constrangimento que, fora de casa, se impõem a si mesmos. Não se atrevendo a usar de autoridade para com os estranhos, que os chamariam à ordem, acham que pelo menos devem fazer-se temidos daqueles que lhes não podem resistir. Envaidecem-se de poderem dizer: "Aqui mando e sou obedecido", sem lhes ocorrer que poderiam acrescentar: "E sou detestado."
Não basta que dos lábios manem leite e mel. Se o coração de modo algum lhes está associado, só há hipocrisia. Aquele cuja afabilidade e doçura não são fingidas nunca se desmente: é o mesmo, tanto em sociedade, como na intimidade. Esse, ao demais, sabe que se, pelas aparências, se consegue enganar os homens, a Deus ninguém engana. - Lázaro. (Paris,1861.) 🔹
___________________
KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo O Espiritismo.
112ª ed. Rio [de Janeiro]:FEB, 1992. Lázaro.(Paris, 1861.).
Cap. IX. Instruções dos Espíritos. Item 6.
Imagem: http://www.google.com.br/. Acesso em: 01.03.2011.
Formatação atualizada em 12/novembro/2017.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

GRATIDÃO

Pelo Espírito Maria Dolores

Agradeço, alma irmã, por tudo o que me deste,
O auxílio fraternal, generoso e sem preço,
O teto, o lume, o prato, o reconforto, a veste,
Tudo isso agradeço...

Sobretudo, alma boa,
Deus te compense o coração amigo,
Por teu olhar de paz que me alenta e abençoa
Na estrada em que prossigo.

Viste-me em solidão,
Esperança caída sem ninguém...
Deste-me apoio com teu braço irmão
E ergui-me de alma nova para o bem!...

Não há palavra com que te defina
O reconhecimento que me invade,
Ao sentir-te no amparo a presença divina
Da Celeste Bondade.

Deus te guarde no excelso resplendor
Da luz com que aqueces todo o ser,
Porque me refizeste a certeza do amor,
A benção de servir e a força de viver.
🔷
________________________
(Do livro “Antologia da Espiritualidade”,
ditado pelo Espírito Maria Dolores,
psicografado por Francisco Cândido Xavier.
Disponível em: O Consolador. Acesso em: 01/novembro/2015.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 01/novembro/2015.
Formatação atualizada em: 01/novembro/2017.