sexta-feira, 15 de novembro de 2019

SEMPRE COM JESUS

Auta de Souza

Não te detenhas! Segue, alma querida,
Vara o próprio caminho em sombra e vento,
Resguarda o coração tranqüilo e atento
E enriquece de amor o chão da vida.

Não te amargure o temporal violento
Que invade a Terra em fúria desmedida,
De esperança a esperança e lida em lida,
Dissiparás a angústia e o sofrimento.

Segue, plantando o bem por onde fores,
Deixando ao tempo o fel das próprias dores,
Por mais que a provação te envolva a estrada !...

Além da imensa noite, espessa e fria,
Cristo é o Divino Sol do novo Dia,
Anunciando a Nova Madrugada!...
🔹
__________________
Do livro 'Auta de Souza', ditado pelo Espírito Auta de Souza,
psicografado por Chico Xavier.
Fonte: www.oconsolador.com.br - Acesso em: 05/setembro/2016.
Imagem: www.google.com. Acesso em: 05/setembro/2016.
Formatação atualizada em: 15/novembro/2019.

O SENTIDO DA PALAVRA CARIDADE

'...O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça...'
O "Evangelho Segundo o Espiritismo", no item 5, do Capítulo XV, nos ensina que "Não podendo amar a Deus sem praticar a caridade para com o próximo, todos os deveres do homem se resumem nesta máxima: FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO."
Na vida diária, a palavra caridade é utilizada para definir manifestações diversas do sentimento. Transita, com muita facilidade, da sinceridade à petulância, da beneficência à prepotência; muitas vezes é utilizada como força de expressão, acompanhada de um gesto, um esgar, dolorosamente irônico; outras, confundida puramente com a beneficência - uma forma de se praticar a caridade - mas que não o é na sua essência.
Kardec, no item 7, do mesmo Cap. XV, já citado, analisando as palavras do Apóstolo Paulo na 1ª Epístola aos Coríntios (13:1 a 7 e 13), assinala que este, ao definir a verdadeira caridade,"[...] mostra-a não só na beneficência, como também no conjunto de todas as qualidades do coração, na bondade e na benevolência para com o próximo.[...]".
Dar esmolas, auxiliar os mais necessitados, entre outras formas de ajuda, são ações que, praticadas com amor e humildade, também são recebidas por Deus como caridade. Mas não é só isso. Ao se pensar a caridade, se deve buscar o sentido maior desse nobre sentimento, praticando-o na sua acepção profunda e universal.
E assim, na esperança de contribuir para um melhor entendimento e mais clara definição do sentido dessa palavra, oferecemos, a seguir, para estudo e meditação, a questão 886 da obra que fundamenta a Doutrina Espírita - "O Livro dos Espíritos".   
Muita Paz!
Francisco.
🔷
CARIDADE E AMOR DO PRÓXIMO


"886. Qual o verdadeiro sentido da palavra
caridade, como a entendia Jesus?


Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”
O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque de indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa."🔵
__________
Imagem: www.morguefile.com. 
Acesso em:19/janeiro/2013.
Ggrifos e destaques: do Blog.
Formatação atualizada em:15/novembro/2019.

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

ESPERANÇA


Pelo Espírito Emmanuel
'...mas ninguém na Terra está impedido de espalhar os benefícios da esperança...'
A esperança é a luz do cristão.
Nem todos conseguem, por enquanto, o vôo sublime da fé, mas a força da esperança é tesouro comum.
Nem todos podem oferecer, quando querem, o pão do corpo e a lição espiritual, mas ninguém na Terra está impedido de espalhar os benefícios da esperança.
A dor costuma agitar os que se encontram no "vale da sombra e da morte", onde o medo estabelece atritos e onde a aflição percebe o "ranger de dentes", nas "trevas exteriores", mas existe a luz interior que é a esperança.
A negação humana declara falências, lavra atestados de impossibilidade, traça inextricáveis labirintos, no entanto, a esperança vem de cima, à maneira do Sol que ilumina do alto e alimenta as sementeiras novas, desperta propósitos diferentes, cria modificações redentoras e descerra visões mais altas.
A noite espera o dia, a flor o fruto, o verme o porvir... O homem, ainda mesmo que se mergulhe na descrença ou na dúvida, na lágrima ou na dilaceração, será socorrido por Deus com a indicação do futuro.
Jesus, na condição de Mestre Divino, sabe que os aprendizes nem sempre poderão acertar inteiramente, que os erros são próprios da escola evolutiva e, por isto mesmo, a esperança é um dos cânticos sublimes do seu Evangelho de Amor.
Imensas têm sido, até hoje, as nossas quedas, mas a confiança do Cristo é sempre maior. Não nos percamos em lamentações. Todo momento é instante de ouvir Aquele que pronunciou o "Vinde a mim ..."
Levantemo-nos e prossigamos, convictos de que o Senhor nos ofereceu a luz da esperança, a fim de acendermos em nós mesmos a luz da santificação espiritual.🔵

"Porque tudo que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança."
Paulo. (ROMANOS, 15:4.)
_______________________________
(Do livro "Vinha de Luz", de Emmanuel, psicografado por
Francisco Cândido Xavier, lição nº 75, Ed. FEB.)
Imagem: http://www.morguefile.com/ Acesso em: 03/maio/2011.
Destaques: pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em: 04/novembro/2019.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

SOFRIMENTO E EUTANÁSIA

Pelo Espírito Emmanuel

'...Não te creias autorizado a desferir o golpe supremo naqueles que a agonia emudece...'


Quando te encontres diante de alguém que a morte parece nimbar de sombra, recorda que a vida prossegue, além da grande renovação...
Não te creias autorizado a desferir o golpe supremo naqueles que a agonia emudece, a pretexto de consolação e de amor, porque, muita vez, por trás dos olhos baços e das mãos desfalecentes que parecem deitar o último adeus, apenas repontam avisos e advertências para que o erro seja sustado ou para que a senda se reajuste amanhã.
Ante o catre da enfermidade mais insidiosa e mais dura, brilha o socorro da Infinita Bondade facilitando, a quem deve, a conquista da quitação. Por isso mesmo, nas próprias moléstias reconhecidamente obscuras para a diagnose terrestre, fulgem lições cujo termo é preciso esperar, a fim de que o homem lhes não perca a essência divina.
E tal acontece, porque o corpo carnal, ainda mesmo o mais mutilado e disforme, em todas as circunstâncias, é o sublime instrumento em que a alma é chamada a acender a flama de evolução.
É por esse motivo que no mundo encontramos, a cada passo, trajes físicos em figurino moral diverso.
Corpos – santuários...
Corpos – oficinas...
Corpos – bênçãos...
Corpos – esconderijos...
Corpos – flagelos...
Corpos – ambulâncias...
Corpos – cárceres...
Corpos – expiações...
Em todos eles, contudo, palpita a concessão do Senhor, induzindo-nos ao pagamento de velhas dívidas que a Eterna Justiça ainda não apagou.
Não desrespeites, assim, quem se imobiliza na cruz horizontal da doença prolongada e difícil, administrando-lhe o veneno da morte suave, porquanto, provavelmente, conhecerás também mais tarde o proveitoso decúbito indispensável à grande meditação.
E usando bondade para os que atravessam semelhantes experiências, para que te não falte a bondade alheia no dia de tua experiência maior, lembra-te de que, valorizando a existência na Terra, o próprio Cristo arrancou Lázaro às trevas do sepulcro, para que o amigo dileto conseguisse dispor de mais tempo para completar o tempo necessário à própria sublimação.🔵
_____________________
(Do livro “Religião dos espíritos”, de Emmanuel,
psicografado por Chico Xavier, 4ª  Ed. FEB,1978.
Reunião pública de 03.04.59, questão nº 944. pág. 59.).
Imagem: www.google.com. Acesso em: 15/outubro/2019..
Formatação atualizada em: 15/outubro/2019.

sábado, 12 de outubro de 2019

A PACIÊNCIA

'... O fardo parece menos pesado, quando se olha para o alto, do que quando se curva para a terra a fronte...'
A dor é uma bênção que Deus envia a seus eleitos; não vos aflijais, pois, quando sofrerdes; antes, bendizei de Deus onipotente que, pela dor, neste mundo, vos marcou para a glória no céu.
Sede pacientes. A paciência também é uma caridade e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Outra há, porém, muito mais penosa e, conseguintemente, muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos do nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência.
A vida é difícil, bem o sei. Compõe-se de mil nadas, que são outras tantas picadas de alfinetes, mas que acabam por ferir. Se, porém, atentarmos nos deveres que nos são impostos, nas consolações e compensações que, por outro lado, recebemos, havemos de reconhecer que são as bênçãos muito mais numerosas do que as dores. O fardo parece menos pesado, quando se olha para o alto, do que quando se curva para a terra a fronte.
Coragem, amigos! Tendes no Cristo o vosso modelo. Mais sofreu ele do que qualquer de vós e nada tinha de que se penitenciar, ao passo que vós tendes de expiar o vosso passado e de vos fortalecer para o futuro. Sede, pois, pacientes, sede cristãos. Essa palavra resume tudo.-Um Espírito amigo. (Havre, 1862.) 🔵
 _________________
KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo.
112ª ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 1992. Cap. IX.

Instruções dos Espíritos. Item 7.
Imagem: www.google.com.Acesso em: 01.03.2011.
Formatação atualizada em: 12/outubro/2019.

MATERNIDADE E PATERNIDADE

A Natureza deu à mãe o amor a seus filhos no interesse da conservação deles. No animal, porém, esse amor se limita às necessidades materiais [...]. No homem, persiste pela vida inteira e comporta um devotamento e uma abnegação que são virtudes. Sobrevive mesmo à morte e acompanha o filho até no além-túmulo.(O Livro dos Espíritos, questão 890.)

A Doutrina Espírita nos ensina que assim como temos as famílias constituídas pelos laços materiais, temos, também, as constituídas pelos laços espirituais. Estes laços espirituais são mais sólidos e duráveis do que os primeiros, visto que não estão sujeitos às instabilidades da matéria. Destaca, todavia, que a família espiritual se forma e se consolida com a prática da Lei de Amor no convívio da família corporal.
A Lei de Amor, que a tudo preside, deve, pois, estar presente em todos os atos, sentimentos e pensamentos do ser humano. Deve presidir o ato que permite ao Espírito retornar às experiências materiais pela reencarnação, especialmente o relacionamento com a mãe que com ele convive, na intimidade, durante a gestação, na formação inicial do seu corpo.
Pesquisas sobre o comportamento do ser humano vêm demonstrando que a causa predominante de desequilíbrio se situa na fase de gestação e nascimento do ser. A rejeição que muitos sentem, desde a simples dúvida dos pais quanto ao seu nascimento até a rejeição ostensiva e odiosa, leva esses seres a uma grave instabilidade comportamental, quer na área da integração social, quer na da própria aceitação pessoal. Em sentido oposto, os aceitos no lar, com real e manifesto amor dos pais, demonstram melhores condições morais e psicológicas para vencerem os naturais desafios da existência.
Observa-se, desse modo, a importância da paternidade e da maternidade ligadas à prática da Lei de Amor. Quando os pais e mães aceitam o filho, desde a concepção, com sincero sentimento de amor, amparando-o em suas necessidade de aprendizado e evolução, constroem as bases de um mundo de paz, uma vez que a primeira lição por ele vivida será a da fraternidade, do amor ao próximo, que lhe servirá de modelo para toda a existência.
Neste sentido, ensina-nos Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXII, item  3): Quis Deus que os seres se unissem não só pelos laços da carne, mas também pelos da alma, a fim de que a afeição mútua dos esposos se lhes transmitisse aos filhos e que fossem dois, e não um somente, a amá-los, a cuidar deles e a fazê-los progredir.”🔵
_________________
(Editorial da revista Reformador, de maio/2006, 
editada pela Federação Espírita Brasileira, disponível
no Portal FEB. Acesso em: 23/janeiro/2012.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 24/janeiro/2012.
Formatação atualizada em: 12/outubro/2019.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

RESSURREIÇÃO DIVINA

Pelo Espírito Neio Lucio
'... Somente Jesus oferece estrada  invariável para a Ressurreição Divina ...'
[...] No túmulo de Nosso Senhor, não há sinal de cinzas humanas.
Nem pedrarias, nem mármores de preço, com frases que indiquem, ali, a presença da carne e do sangue.
Quando os apóstolos visitaram o sepulcro, na gloriosa manhã da Ressurreição, não havia aí nem luto, nem tristeza.
Lá encontraram um mensageiro do reino espiritual que lhes afirmou: “Não está aqui.”
E o túmulo está aberto e vazio, há quase dois mil anos.
Seguindo, pois, com Jesus, através da luta de cada dia, jamais encontraremos a angústia da morte e, sim, a vida incessante.
No caminho de notáveis orientadores do mundo poderemos encontrar formosos espetáculos da glória passageira; contudo, é muito difícil não terminarmos a experiência em desilusão e poeira.
Somente Jesus oferece estrada invariável para a Ressurreição Divina.
Quem se desenvolve, portanto, com o exemplo e com a palavra do Mestre, trabalhando por revelar bondade e luz, em si mesmo, desde as lutas e ensinamentos do mundo, pode ser considerado cidadão celeste.🔵
_________________________________
(Do livro ”Alvorada Cristã”, pelo Espírito Neio Lucio,
psicografia de Chico Xavier. FEB. 10ª ed.1991.
Excerto da lição “Sigamos com Jesus”. Cap. 1. págs. 15/16.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 22/agosto/2014.
Destaques: pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em: 21/setembro/2019.

MAR DA GALILEIA: UM LUGAR MARCANTE PARA A FÉ CRISTÃ


Também dito Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré (em língua hebraica: ים כנרת, Kinneret = harpa), o Mar da Galileia é um extenso lago de água doce, o maior de Israel, com comprimento máximo de cerca de 19 km e largura máxima de cerca de 13 km. Na moderna língua hebraica é conhecido por Yam Kinneret. Deságua nele o rio Jordão, que vem do monte Hérmon e de Cesareia de Filipe, e que depois segue para o Mar Morto.
O Mar da Galileia fica a 213 metros abaixo do nível do Mar Mediterrâneo. Nos tempos do Novo Testamento, ficavam nas suas costas a cidade de Tiberíades — fundada por Herodes Antipas ao tempo da infância de Jesus —, Cafarnaum, Betsaida e Genesaré, entre outras. A nordeste do Mar da Galileia ficam os montes Golã.

Era Cristã
Grande parte do ministério de Jesus-Cristo decorreu nas margens do lago de Genesaré. Naqueles tempos, havia uma faixa de povoamentos à volta do lago e muito comércio e transporte por barco. No entanto, sabe-se que a Galileia era uma região mais pobre do que a Judeia, de modo que a população do local atravessava momentos difíceis durante o primeiro século da era comum.
O Evangelho segundo Marcos (1:14-20) e o Evangelho segundo Mateus (4:18-22) descrevem como Jesus recrutou quatro dos seus apóstolos nas margens do lago de Genesaré: o pescador Pedro e seu irmão André, e os irmãos João e Tiago.
Um famoso episódio evangélico, o Sermão da Montanha (Mt:5), teve lugar numa colina com vista para o lago e muitos dos milagres de Jesus também aconteceram aqui: caminhada pela água, acalmar uma tempestade, alimentar cinco mil pessoas e muitos outros.

A Galileia hoje
Na atualidade, a região da Galileia é limitada a norte pelo rio Leontes, a sul pela Samaria e pela região em torno do monte Carmelo, tendo a leste o rio Jordão e a oeste o Mediterrâneo. A Alta Galileia corresponde a um prolongamento orográfico dos montes do Líbano, com montanhas cortadas por desfiladeiros e passagens estreitas, em oposição ao relevo ondulado da Baixa Galileia, modelada por colinas. Constitui a Galileia, a par dos reivindicados montes Golã (diferendo com a Síria), a região com maiores índices pluviométricos e, por conseguinte, maiores reservas aquíferas de Israel. O clima é temperado, os solos são férteis, com largo aproveitamento agrícola. É a região sismicamente mais activa de Israel.
Duas cidades dividem a hegemonia entre as povoações da Galileia, uma na Baixa Galileia, Nazaré - grande centro urbano árabe e um dos locais santos do Cristianismo, pois aí Jesus passou a infância -, a outra na Alta Galileia, Zefat (ou Safed ou Safad), o principal centro da Cabala (doutrina mística e esotérica do Judaísmo) na Idade Média. Outras cidades assumem importância regional, como Tiberíades (cidade santa do Judaísmo, fundada por Herodes Antipas durante o domínio romano), Kefr Kenna e Kana, amabas estas identificadas como a bíblica Canaã.🔵
___________________
Fontes: 
* Wikipédia, a enciclopédia livre;
* Galileia. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora,
2003-2011. [Consult. 2011-02-16].
Formatação atualizada em: 02/outubro/2019.

VIVER É MAIS FÁCIL PARA QUEM TEM FÉ

Pelo Espírito Maria Rosa
'...O caminho do dar é o mesmo do receber. Abra teus braços para receber o abraço e também estarás envolvendo teu irmão em afeto, acolhimento, no compartilhar de nobres sentimentos...'
Jamais será repetitivo falar em FÉ. Como deixar de abordar aquilo que é o principal norte de todos os seres humanos? Andar sem fé é como viajar sem  bússola, sem conhecer a direção que devemos trilhar para chegar ao destino. Viver sem fé é respirar e não encontrar o oxigênio para prosseguir. Acordar sem fé é querer dormir de novo, como se o sono pudesse nos livrar das dificuldades, da dúvida, do medo, do rancor, das mágoas.
O sono é apenas um hiato para que o corpo se recupere e a mente se recicle, injetando combustível necessário para a máquina humana funcionar.
Oh, amigos, a fé é o componente principal do existir. Aquele que não crê em si e nas forças poderosas do Universo sente-se só, abandonado, enfraquecido, perdido. É assim que te sentes? Então trata de cultivar ou até mesmo resgatar a crença, a certeza de que podes superar a si mesmo e aos embates do existir.
Como ser promovido sem passar por testes? Muitas vezes as provas são contundentes e deixam marcas profundas. No entanto, o Pai Maior sempre nos concede recursos internos e externos para nos recuperarmos das perdas, das dores, das decepções, das humilhações.
Vença o orgulho e serás mais feliz! Desta forma, o insulto, as más palavras, as calúnias, os maus pensamentos alheios não te atingirão.  O orgulho é a porta que abres para que estas energias densas se aproximem de ti, minando tuas forças.
Seja humilde, não bobo. Na humildade, estarás com as portas e as janelas totalmente abertas para o aprendizado trazido pela dor ou pela injustiça. Aceita as provas com dignidade e faça todo o Bem que puderes aos teus irmãos que passam por privações.
O caminho do dar é o mesmo do receber. Abra teus braços para receber o abraço e também estarás envolvendo teu irmão em afeto, acolhimento, no compartilhar de nobres sentimentos.
Viver feliz é bem mais fácil para os que têm fé. Seja um deles! Só depende de ti. Cultiva a fé dia a dia até que ela seja tão grande que tomará conta de ti como mãe que envolve os filhos em seus braços de Amor!
Luz e Paz!🔵
________________
Psicografado por Cristina Barude em 29.11.12.
Fonte: http://www.bahiaespirita.com.br/. Acesso em: 07/dezembro/2012.
Imagem: www.morguefile.com. Acesso em: 22/abril/2013.
Formatação atualizada em:02/ outubro/2019.

sábado, 21 de setembro de 2019

ORANDO AO GUIA ESPIRITUAL

Montanhas de Ataleia - MG - Brasil
Espíritos bem-amados, anjos guardiões,
Vós a quem Deus, em sua infinita misericórdia,
permite velar pelos homens, sede meus protetores
nas provas da minha vida terrestre.
Dai-me a força, a coragem e a resignação;
Inspirai-me tudo o que é bom e detende-me na inclinação do mal;
Que vossa doce influência penetre minha alma;
Fazei com que eu sinta que um devotado amigo
está perto de mim, que vê meus sofrimentos e partilha minhas alegrias.
E vós, meu bom anjo, não me abandoneis;
Tenho necessidade de toda a vossa proteção,
para suportar com fé e amor as 
provas que aprouver a Deus me enviar.🔵

AMOR

Lagoa Juparanã - Linhares - Espírito Santo - Brazil
Pelo Espírito João de Brito

O Amor, sublime impulso de Deus,
é a energia que move os mundos:
Tudo cria, tudo transforma, tudo eleva.
Palpita em todas as criaturas.
Alimenta todas as ações.
🔸
O ódio é o Amor que se envenena.
A paixão é o Amor que se incendeia.
O egoísmo é o Amor que
se concentra em si mesmo.
🔸
O ciúme é o Amor que se dilacera.
A revolta é o Amor que se transvia.
O orgulho é o Amor que enlouquece.
A discórdia é o Amor que divide.
A vaidade é o Amor que se ilude.
A avareza é o Amor que se encarcera.
O vício é o Amor que se embrutece.
A crueldade é o Amor que tiraniza.
O fanatismo é o Amor que se petrifica.
A fraternidade é o Amor que se expande.
A bondade é o Amor que se desenvolve.
O carinho é o Amor que se enflora.
A dedicação é o Amor que se estende.
O trabalho digno é o Amor que aprimora.
A experiência é o Amor que amadurece.
A renúncia é o Amor que se ilumina.
O sacrifício é o Amor que se santifica.
O Amor é o clima do Universo.
🔸
É a religião da vida, a base do estímulo
e a força da Criação.
Ao seu influxo, as vidas se agrupam,
sublimando-se para a imortalidade.
Nesse ou naquele recanto isolado,
quando se lhe retire a influência,
reina sempre o caos.
Com ele, tudo se aclara.
Longe dele, a sombra se coagula e prevalece.
Em suma, o bem é o Amor que se desdobra,
em busca da Perfeição no Infinito,
segundo os Propósitos Divinos;
e o mal é, simplesmente, o Amor fora da Lei.🔵
___________________________
(XAVIER, Francisco Cândido. Falando à Terra,
Diversos Espíritos. 5. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1991, p. 105-106.)
Imagem: http://www.google.com/ . Acesso em: 07/11/10.
Formatação atualizada em: 21/setembro/2019.

A ÁRVORE PRECIOSA

Espírito Neio Lúcio

'...Os talentos do Pai foram concedidos aos filhos, indistintamente, para que aprendam a desfrutar os dons eternos, com entendimento e harmonia...'
Salientando o Senhor que a construção do Reino Divino seria obra de união fraternal entre todos os homens de boa-vontade, o velho Zebedeu, que amava profundamente os apólogos do Cristo, pediu-lhe alguma narrativa simbólica, através da qual a compreensão se fizesse mais clara entre todos.
Jesus, benévolo como sempre, sorriu e contou:
— Viviam os homens em permanentes conflitos, acompanhados de miséria, perturbação e sofrimento, quando o Pai compadecido lhes enviou um mensageiro, portador de sublimes sementes da Árvore da Felicidade e da Paz. Desceu o anjo com o régio presente e,congregando os homens para a entrega festiva, explicou-lhes que o vegetal glorioso produziria flores de luz e frutos de ouro, no futuro, apagando todas as dissensões, mas reclamava cuidados especiais para fortalecer-se. Em germinando, era imprescindível a colaboração de todos, nos cuidados excepcionais do amor e da vigilância.
As sementes requeriam terra conveniente, aperfeiçoado sistema de irrigação, determinada classe de adubo, proteção incessante contra insetos daninhos e providências diversas, nos tempos laboriosos do início; a planta, contudo, era tão preciosa em si mesma que bastaria um exemplar vitorioso para que a paz e a felicidade se derramassem, benditas, sobre a comunidade em geral. Seus ramos abrigariam a todos, seu perfume envolveria a Terra em branda harmonia e seus frutos, usados pelas criaturas, garantiriam o bem-estar do mundo inteiro.
Finda a promessa e depois de confiadas ao povo as sementes milagrosas, cada circunstante se retirou para o domicílio próprio, sonhando possuir, egoisticamente, a árvore das flores de luz e dos frutos de ouro. Cada qual pretendia a preciosidade para si, em caráter de exclusividade. Para isso, cerraram-se, apaixonadamente, nas terras que dominavam, experimentando a sementeira e suspirando pela posse pessoal e absoluta de semelhante tesouro, simplesmente por vaidade do coração.
A árvore, todavia, a fim de viver, reclamava concurso fraterno total, e os atritos ruinosos continuaram.
As sementes, pela natureza divina que as caracterizava, não se perderam; entretanto, se alguns cultivadores possuíam água, não possuíam adubo e os que retinham o adubo não dispunham de água farta. Quem detinha recursos para defender-se contra os vermes, não encontrava acesso à gleba conveniente e quem se havia apoderado do melhor solo não contava com possibilidades de vigilância. E tanto os senhores provisórios da água e do adubo, da terra e dos elementos defensivos, quanto os demais candidatos à posse da riqueza celeste, passaram a lutar, em desequilíbrio pleno, exterminando-se reciprocamente.
O Mestre fez longo intervalo na curiosa narrativa e acrescentou:
— Este é o símbolo da guerra improfícua dos homens em derredor da felicidade. Os talentos do Pai foram concedidos aos filhos, indistintamente, para que aprendam a desfrutar os dons eternos, com entendimento e harmonia. Uns possuem a inteligência, outros a reflexão; uns guardam o ouro da terra, outros o conhecimento sublime; alguns retêm a autoridade, outros a experiência; todavia, cada um procura vencer sozinho, não para disseminar o bem com todos, através do heroísmo na virtude, mas para humilhar os que seguem à retaguarda.
E fitando Zebedeu, de modo significativo, finalizou:
— Quando a verdadeira união se fizer espontânea, entre todos os homens no caminho redentor do trabalho santificante do bem natural, então o Reino do Céu resplandecerá na Terra, à maneira da árvore divina das flores de luz e dos frutos de ouro.
O velho galileu sorriu, satisfeito, e nada mais perguntou.🔵
 ___________
Do livro "Jesus no Lar", pelo Espírito Neio Lucio,
psicografado por Chico Xavier, 36ª ed. FEB, 2008, lição 46.
Imagem:www.google.com. Acesso em: 19/setembro/2016.
Destaques:pelo Editor do Blog.
Formatação atualizada em: 21/setembro/2019;

terça-feira, 17 de setembro de 2019

SAUDANDO A PRIMAVERA!

A LENDA DA ROSA
Pelo Espírito Maria Dolores

Dizem que quando a Terra começava
A ser habitação de forças vivas,
Nas telas primitivas,
Tudo passara a ser agitação de festa;
As cidades nasciam
Em singelas aldeias na floresta...
A beleza imperava,
O verde resplendia,
Toda a vegetação se espalhava e crescia,
Dando refúgio e proteção
Aos animais,
Do mais fraco ao mais forte...

O progresso ganhava as marcas de alto porte.

No campo, as plantas todas
Respiravam felizes,
Da folhagem no vento à calma das raízes;
Era um mundo de belos resplendores,
Adornados de flores,
Com uma exceção.

Tão-somente, o espinheiro,

Era triste e sozinho
Uma espécie de monstro no caminho,
De que ninguém se aproximava,
Todo feito de pontas agressivas,
Recordando punhais de traiçoeiro corte,
Que anunciavam a dor e feridas de morte.

De tanto padecer desprezo e solidão,

Um dia, o espinheiral,
Fitou o Azul Imenso e disse em oração:
- Senhor, que fiz de mal
Para ser espancado e escarnecido,
Todos me evitam cautelosamente
Como se eu não devesse haver nascido...

Compadece-te, oh ! Pai, da penúria que trago,

Terei culpa das garras que me destes?
Acendes astros mil para a noite celeste,
Vestes a madrugada de mantilhas vermelhas,
Dás lãs para as ovelhas,
Inteligência aos cães, cântico às aves,
Estendeste no chão a bondade das fontes
Que deslizam suaves

Na força universal com que desdobras,

A amplitude sem fim dos horizontes,
Em cujo místico esplendor
Falas de majestade, paz e amor...

Não me abandones, Pai, às pedras dos caminhos,

Se posso, não desejo,
Oferecer espinhos...
Quero servir-te à obra, aspiro a ser perfume,
Inspiração e cor, harmonia e beleza,
Para falar de ti nas leis da Natureza.

Dizem que Deus ouviu a inesperada prece

E notando a humildade e a contrição do espinheiro,
Mandou que, à noite, o orvalho lhe trouxesse
Um prodígio imortal.

Na seguinte manhã, logo após a alvorada,

Por entre exalações maravilhosas,
O homem descobriu, de alma encantada,
Que Deus para mostrar-se
O Pai e o Companheiro,
Atendendo a oração pusera no espinheiro...
A primeira das rosas.🔸
________________
(Psicografia de Francisco Cândido Xavier)
Imagem: www.google.com . Acesso em: 23/outubro/2010.
Formatação atualizada em:17/setembro/2019.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

O SUICÍDIO E A LOUCURA



Allan Kardec
("O Evangelho Segundo o Espiritismo"-
 Cap. V, itens 14 a 17.)
'...A incredulidade, a simples dúvida sobre o futuro, as idéias materialistas, numa palavra, são os maiores incitantes ao suicídio; ocasionam a covardia moral...' 
“14. A calma e a resignação hauridas da maneira de considerar a vida terrestre e da confiança no futuro dão ao espírito uma serenidade que é o melhor preservativo contra a loucura e o suicídio. Com efeito, é certo que a maioria dos casos de loucura se deve à comoção produzida pelas vicissitudes que o homem não tem a coragem de suportar. Ora, se encarando as coisas deste mundo da maneira por que o Espiritismo faz que ele as considere, o homem recebe com indiferença, mesmo com alegria, os reveses e as decepções que o houveram desesperado noutras circunstâncias, evidente se torna que essa força, que o coloca acima dos acontecimentos, lhe preserva de abalos a razão, os quais, se não fora isso, a conturbariam.(continua...)
--------------------------------------------------------------------------------
Leia a íntegra em:
------------------------------------------------------
_________________
KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo O Espiritismo.
106ª ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 1992. Cap. V, itens
14 a 17. Págs.108/110.
Imagem: http://www.google.com.br/. Acesso em:
Formatação atualizada em: 11/setembro/2019.

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

DIGA NÃO AO SUICÍDIO


10 de setembro
 Dia Mundial da Prevenção do Suicídio


Segue confiante

“Ergue-te, enquanto é tempo, e faze, por ti mesmo, o bem que possas.”
Lutas, conflitos, perturbações… Por vezes, é possível que te sintas à frente do mundo, qual se estivesses no mar tumultuado. Guarda-te na embarcação da fé e segue na rota que te cabe percorrer. Deus está no leme. Age e confia.
(Livro de respostas, ditado pelo Espírito Emmanuel ao médium Chico Xavier)🔵
____________
Publicado em www.febnet.org.br-
Boletim Eletrônico 1ª quinzena de setembro.
Acesso em: 04/setembro/2019.

LIÇÕES DA OBRA DE YVONNE DE A. PEREIRA

Por Sandra Ventura
“Todo encontro com outro ser humano tem sentido edeve significar algo no plano da criação de Deus.” – Peter Van Der Meer1
Infelizmente não tive oportunidade de conhecê-la pessoalmente, mas pude reconhecer os seus caracteres de nobreza, distinção, fraternidade e humildade pelas obras que psicografou e nos muitos artigos que escreveu, nos quais se vê a observância fiel aos princípios doutrinários, bem como o profundo ascendente moral evangélico presente em toda a sua produção e vivência doutrinária.
Em março de 1984, deixava a Terra a alma redimida de Yvonne do Amaral Pereira.Foram 83 anos bem vividos e destinados à renovação de si mesma, tendo como principal ferramenta a dor das provas e das expiações a que se submeteu resignada e confiante.
Espírito lúcido, soube como ninguém aproveitar as lições e benesses que somente a Doutrina dos Espíritos lhe poderia dar. Alma peregrina do pecado, transitou de dramas terríveis à plena redenção de seus sentimentos de mulher, filha, amiga e irmã, dedicando-se com respeito e honradez aos inúmeros companheiros que puderam compartilhar da sua presença em substanciosas conversas na varanda da casa de sua irmã Amália (com quem morou nos últimos anos de sua vida) ou nos momentos de pregação evangélica a que ela se dedicava (na tribuna humilde ou nas missivas escritas com carinho maternal), ou ainda no colóquio silencioso e feliz com os seus queridos amigos do espaço. Que lições valiosas lhe fluíam da pena, sob a influência suave do venerável Bezerra de Menezes, quando este, cercando-a com os cuidados de pai, lhe dava a oportunidade de reconhecer, Nas telas do infinito, toda a operosidade do amor com que devem conduzir-se aqueles que pretendem servir nas lides dos muitos Dramas da obsessão ou nos graves momentos como a Tragédia de Santa Maria.
Quem poderia prever que sua tragédia passional de ex-suicida no século 19 pudesse se converter em testemunho de fogo, fazendo com que ela mesma voltasse à Terra com a missão de alertar os incautos do caminho sobre os perigos e sofrimentos advindos desse gesto insano, de profunda revolta contra a Lei de Deus.
Camilo Castelo Branco,o notável escritor português, contou-lhe suas Memórias de um suicida e deste trabalho conjunto temos o maior tratado mediúnico dos últimos tempos,na opinião do preclaro Espírito André Luiz.
Com as lembranças de Camilo vieram também as narrativas de Amor e ódio, que o grande Victor Hugo pediu a Charles transcrevesse, buscando no éter as vívidas e traumáticas experiências de um jovem artista, que bem serviriam de exemplo para a juventude, ao encontrar em O livro dos espíritos a explicação e o consolo para os seus martírios. O inesquecível escritor e pregador do Evangelho, o “santo paizinho” da Rússia, como era conhecido Liev Tolstoi, deu sua contribuição preciosa trazendo as histórias do seu povo, das suas terras longínquas, em que exigiu da médium o uso do russo castiço, para as descrições detalhadas do exigente escritor romântico, necessárias ao repasse das suas cartas de moral evangélica, de psicologia profunda donde ressoam a Sublimação dos sentimentos de muitas criaturas, travestidas de personagens, outros trazendo a Ressurreição e vida que só o encontro com o Cristo favorece.
Ainda poderíamos destacar, por muito nos sensibilizarem, as suaves nuances de azul e rosa que a médium percebia envolvendo as cenas do drama Nas voragens do pecado, obra escrita inicialmente pelo Espírito Roberto de Canallejas, seu companheiro de muitos enredos. Roberto, protagonista nesse drama e nas duas outras obras que compõem a já consagrada “Trilogia de Yvonne A. Pereira”, oprimido pelo sofrimento que lhe causava a lembrança do passado, não pôde concluí-las. A tarefa coube ao mentor da médium, o Espírito Charles, que manteve o sabor nostálgico da vida do Cavaleiro de Numiers e o caráter impactante do Drama da Bretanha. Muito se poderia dizer desta trilogia, mas por que nos retermos nos aspectos históricos tão bem caracterizados, a evidenciarem uma de suas notáveis especialidades mediúnicas, se o que mais nos salta aos olhos é justamente a penetração doutrinária em todos os lances, o alcance das lições em cada obra, À luz do consolador?
Estudiosa profunda e grande observadora dos fenômenos mediúnicos, foi Devassando o invisível que ela nos trouxe as suas Recordações da mediunidade – duas obras que são o relato de suas experiências mediúnicas -, as quais vieram a lume sob a orientação de Charles, Bezerra,Inácio Bittencourt e Léon Denis, que lhe determinaram:
Narrarás o que a ti mesma sucedeu, como médium, desde o teu nascimento. Nada mais será necessário. [...]
O grande discípulo de Allan Kardec, Léon Denis, tornou-se amigo presente em momentos cruciais de sua vida, soerguendo-lhe o ânimo diante das muitas dificuldades, até que a expressão máxima do trabalho brilhasse estampada nas obras sobre as quais ela se debruçava com fervor, dificuldades como os 30 anos de espera pela publicação de uma obra, ou ainda ter o seu passado equivocado, em vidas anteriores, exposto em algumas de suas obras,tudo para testar sua humildade e resignação.
A Federação Espírita Brasileira, a Casa Máter do Espiritismo, era considerada por ela como um segundo lar paterno, daí a sua admiração e devoção pela Casa de Ismael durante toda a sua vida, entregando toda a sua obra aos cuidados da FEB. Em 2013, a FEB Editora lançou alguns livros que jaziam esquecidos pelo tempo.Mas, como tudo tem o seu momento, eis que quatro deles são recuperados, todos ostentando o conteúdo e o estilo inconfundíveis, tanto da médium como dos Espíritos que a assistiam.São cartas destinadas à infância e à juventude. São flores colhidas em plena primavera de sentimentos para que o Espírito jovem acolha os ensinamentos do Evangelho sob as bênçãos da Família espírita, com o endosso do Evangelho aos simples, compreendendo As três Revelações da lei de Deus nos muitos Contos amigos que a saudosa médium trouxe das mãos generosas de Bezerra de Menezes, Charles e Liev Tolstoi.
Muito ainda se poderia comentar sobre as 173 obras que Yvonne nos legou, todavia o que mais importa é que a quantidade não tem tanta valia onde a qualidade é inequívoca, onde a fidelidade absoluta a Jesus e a Kardec saltam aos olhos daqueles que têm olhos para ver e que estejam vigiando e orando, já que os tempos são chegados e o joio será atado em molhos para queimar, e o trigo, juntado no celeiro do Senhor. (Mateus, 13:30.)
___________________________
1 PEREIRA. Yvonne do A. Um caso de reencarnação – Eu e Roberto de Canallejas.
5. ed. Rio de Janeiro: Associação Editora Espírita F. V. Lorenz,2009.
2 PEREIRA. Yvonne do A. Recordações da mediunidade. 12. ed. 2. imp. Brasília:FEB, 2013. Introdução, p. 8.
3 N.R.: Dessas 17 obras, uma será lançada este mês:
As três revelações da lei de Deus; e a outra, Contos amigos, ainda se encontra no prelo.
🔵
(Texto e imagem disponíveis em: http://www.sistemas.
febnet.org.br/reformadoronline/pagina/?id=398.)
Acesso em: 01/março/2014.
Formatação atualizada em: 06/setembro/2019.