quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

VIA-LÁCTEA - XIII

Olavo Bilac

Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via-láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo”?
E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.
*  *  *
(Da obra “Antologia de Antologias”, de
Magaly Trindade Gonçalves, Zélia Thomaz de Aquino
e Zilda Bellodi Silva. Musa Editora. 1997. pág.339.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 04.05.2013.
Formatação atualizada em: 04.05.2013.

2 comentários:

  1. [...] Sorridente, porém misteriosa, como sempre, [a Estrelinha Brilhante] respondeu-me:
    ‒ É preciso amar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, André Luiz,
      Fiquei feliz com o seu comentário.É sempre um incentivo.
      Muita Paz!
      Francisco

      Excluir