quarta-feira, 17 de agosto de 2016

DE ÂNIMO FORTE

Pelo Espírito Emmanuel

'...Onde esteja a possibilidade de sermos úteis, avancemos, de ânimo forte, para a frente, construindo o bem...'

Não faltam recursos de trabalho espiritual a todo irmão que deseje reerguer-se, aprimorar-se, elevar-se.

Lacunas e necessidades, problemas e obstáculos desafiam o espírito de serviço dos companheiros de fé, em toda parte.

A ignorância pede instrutores, a dor reclama enfermeiros, o desespero suplica orientadores.

Onde, porém, os que procuram abraçar o trabalho por amor de servir?

Com raras exceções, observamos, na maioria das vezes, a fuga, o pretexto, o retraimento.

Aqui, há temor de responsabilidade; ali, receios da crítica; acolá, pavor de iniciativa a benefício de todos.

Como poderá o artista fazer ouvir a beleza da melodia se lhe foge o instrumento?

Nesse caso, temos em Jesus o artista divino e em nós outros, encarnados e desencarnados, os instrumentos dEle para a eterna melodia do bem no mundo.

Se algemamos o coração ao medo de trabalhar em benefício coletivo, como encontrar serviço feito que tranqüilize e ajude a nós mesmos? Como recolher felicidade que não semeamos ou amealhar dons de que nos afastamos suspeitosos?

Onde esteja a possibilidade de sermos úteis, avancemos, de ânimo forte, para a frente, construindo o bem, ainda que defrontados pela ironia, pela frieza ou pela ingratidão, porque, conforme a palavra iluminada do apóstolo aos gentios, "Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, amor e moderação".
*
"Porque Deus não nos deu o espírito de temor,
 mas de fortaleza, amor e moderação." - Paulo. (II TIMÓTEO, 1:7.)
*  *  *
(Do livro "Vinha de Luz", de Emmanuel, psicografado por
Francisco Cândido Xavier, lição nº 31, Ed. FEB.)
Imagem: www.google.com. Acesso em: 18/janeiro/2011.
Formatação atualizada em:17/agosto/2016.
Destaques pelo Editor do Blog.

4 comentários:

  1. "Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz" (Platão).

    Que lindo texto, Francisco!

    Uma vez mais, fomos brindados! Um séria oportunidade de reflexão acerca das virtudes e vicissitudes no trabalho cristão. Testemunho de vivência e maturidade na seara do bem.

    Seu trabalho nos fez refletir:

    Se por um lado regozijamo-nos com bons espíritos espargindo sinceridade, calor e reconhecimento, por outro, consternamo-nos com incautos irmãos disseminando ironia, frieza e ingratidão. E não raras vezes, deixamo-nos amedrontar pelo acinte da turba lúgubre empunhando azorragues de amargura.

    Contudo, cremos que o trabalhador sincero e diligente sabe que é depositário fiel das vibrações benfazejas do mais alto. E não obstante esquivar-se dos golpes ferinos, ainda assim se entrega à labuta com ânimo renovado.

    Trabalhamos por Cristo, em Cristo, e para o Cristo - e não para os homens. Nesse sentido, aprendemos que afetar-se, desmensuradamente, com a ironia de outrem é atribuir importância demasiada a um irmão debilitado. Enrigelar-se, repetidamente, com a frieza alheia é buscar fagulhas em gravetos umedecidos. Acusar, reiteradamente, falta de gratidão é querer colher lírios no deserto da incompreensão dos homens.

    Portanto, avancemos! O mal não tem qualquer força. Vive da fraqueza do bem, da timidez dos bons, da anuência dos temerosos.

    Lutemos o bom combate! Se portarmos a Verdade, não deixemo-la sob o alqueire. Se conhecemos o caminho, mostremo-lo. Se sentimos o Cristo, testemunhemo-Lo dos telhados.

    No fundo, descobriremos que o grande mal é acreditar no mal. Pensar assim é olvidar a proteção divinal. Escudo para os que não calam a razão, que não temem a ironia, a frieza, tampouco, a ingratidão.

    Finalmente, ânimo, trabalho e felicidade! Abramos as nossas asas, elevemo-nos sem temer os que temem a luz, não querendo alçar vôo. Afinal, relembrando a música famosa, “eles são muitos, mas não sabem voar...”.

    Muita Paz, Muita Luz!

    ResponderExcluir
  2. André

    Obrigado pela inestimável participação.

    Saudações Fraternas,

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo Francisco, continue firme e forte, o seu trabalho já tem rendido frutos positivos.

    obrigado pela oportunidade de ser seu amigo.

    Léo Pereira

    ResponderExcluir
  4. Prezado Leo,

    Agradeço, de coração, a sua mensagem, que muito me conforta. Mas é preciso dizer, antes, que este trabalho é "nosso", pois você foi um dos que me ajudaram "na primeira hora", com o seu apoio e com a força de seus artigos.

    Da mesma forma, obrigado pela oportunidade de ser seu amigo.

    Fraternalmente,

    Francisco

    ResponderExcluir