segunda-feira, 21 de setembro de 2015

A LENDA DA ÁRVORE


Pelo Espírito Neio Lúcio

No princípio do mundo, quando os vários reinos da Natureza já se achavam apaziguados e enquanto o ouro e o ferro repousavam no subsolo, o homem, os animais de grande porte, os passarinhos, as borboletas, as ervas e as águas viviam na superfície da Terra... E o Supremo Senhor, notando que os serviços planetários se desdobravam regularmente, chamou-os ao seu Trono de Luz, a fim de ouvi-los.

A importante audiência do Todo-Poderoso começou pelo Homem, que se aproximou do Altíssimo e informou:

— Meu Pai, o globo terrestre é nossa gloriosa oficina. Minha esposa, tanto quanto eu, se sente muito feliz; entretanto, experimentamos falta de alguém que nos faça companhia, em torno do lar, e nos auxilie a criar os filhinhos.

O Todo-Misericordioso mandou anotar a referência do Homem e continuou a ouvir as outras criaturas.

Veio o Boi e falou:

— Senhor, estou muito bem; contudo, vagueio sem descanso durante as horas de sol. Grande é a minha fadiga e a resistência cada vez menor...

Veio o Cavalo e reclamou:

— Eu também, Grande Rei, sinto aflitivo calor cada dia...

Aproximou-se a Corça e rogou:

—Poderoso, estou exposta à perseguição de toda gente. Não terei a graça de um ser amigo que me proteja e defenda?

Logo após, surgiu gracioso passarinho e suplicou:

— Celeste Monarca, recebi a bênção da vida, mas não tenho recursos para fazer meu ninho. Nas pastagens rasteiras, não posso construir a casa...

Adiantou-se a Borboleta e implorou:

— Meu Deus, tudo é belo no mundo; todavia, onde repousarei?

Em último lugar, chegou o Rio e disse:

— Grande Senhor, venho cumprindo os meus deveres na Terra, escrupulosamente, mas preciso de alguém que me ajude a conservar as águas...

O Supremo Soberano ficou pensativo e prometeu providenciar.

No dia imediato, toda a Terra apareceu diferente.

As árvores robustas e acolhedoras haviam surgido, representando a sublime resposta de Deus.
 *  *  *
(Do livro "Alvorada Cristã", do Espírito Neio Lúcio,
psicografia de Chico Xavier. FEB.10 ed.1991. Lição nº 40.
Disponível também no site O Consolador.)
Imagem: http://www.ecoblogs.com.br/.Acesso em: 03/fevereiro/2012.
Formatação atualizada em:21/setembro//2015. 

2 comentários:

  1. Francisquinho
    Tenhp me deliciado com seu blog. Sempre rotineiramente leio pelo menos uma mensagem aleatória. A lenda da árvore (ou verdade da árvore) entregue ao planeta pelo nosso Pai Supremo, representa Sua preocupação em nos manter protegidos.
    Lamentável resposta do homem: Cortam as árvores desrespeitadamente.
    Amo voces. Parabéns!Joãozinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Irmão,
      Primeiramente, obrigado pelo comentário, que recebo como carinhoso incentivo.
      O tema é palpitante e muito atual no seu chamamento ao Amor à Mãe Natureza, tão vilipendiada e depredada.
      Na verdade, o “Amai-vos...” que Jesus nos deixou como ensinamento (João 13:34) precisa ser entendido na sua máxima amplitude. Ou seja, a Natureza –Deus Atuante - não pode ser dissociada desse Sentimento de elevada significação. O contrário significa não amar a Deus.
      Somos, todos, criação divina. Estamos – todos – imersos no Plasma Divino. E o Reino Vegetal é um dos estágios por que transita o Princípio Espiritual na sua caminhada evolutiva. Portanto, devemos Amor e Solidariedade aos nossos “irmãos” naturais.
      São Francisco, o Iluminado de Assis, na sua vida de Amor e Humildade, vivenciou e exemplificou esse mandamento evangélico dedicando à Natureza as expansões do seu espírito carismático.
      Aliás, Joãozinho (falando em João...), na literatura espírita encontramos a informação de que São Francisco é a reencarnação do Apóstolo João, que veio tentar restabelecer, na vivência religiosa de sua época, as bases sublimes dos Ensinamentos do Cristo Jesus.
      Portanto, meu Irmão, Francisco e João são nomes que encerram grande simbolismo.
      Um forte abraço e muita Paz!
      Francisco.

      Excluir