sábado, 25 de outubro de 2014

A MISSÃO DO BRASIL NO CONCERTO DAS NAÇÕES


Por Francisco de A.D. Pirola

"[...]Não nos compete estacionar, em nenhuma circunstância, e sim marchar, sempre, com a educação e com a fé realizadora, ao encontro do Brasil, na sua admirável espiritualidade e na sua grandeza imperecível![...]" 

Há momentos em nossas vidas em que o livro, mais que companheiro, é fonte superior de inspiração. "Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho"(1) compõe esse luminoso acervo, motivo pelo qual, nesta hora de alto significado para a Nação brasileira, recorremos ao seu elevado conteúdo, para que se fortaleça a nossa Esperança, e também, buscar reconforto nas referências históricas, de grande espiritualidade, à missão do Brasil no concerto das Nações.

Brasil: Celeiro do Mundo

“[...] Humboldt, visitando o vale extenso do Amazonas, exclamou, extasiado, que ali se encontrava o celeiro do mundo. O grande cientista asseverou uma grande verdade: precisamos, porém, desdobrá-la, estendendo-a do seu sentido econômico à sua significação espiritual. O Brasil não está somente destinado a suprir as necessidades materiais dos povos mais pobres do planeta, mas, também, a facultar ao mundo inteiro uma expressão consoladora de crença e de fé raciocinada e a ser o maior celeiro de claridades espirituais do orbe inteiro. [...] se a Grécia e a Roma da antigüidade tiveram a sua hora, como elementos primordiais das origens de toda a civilização do Ocidente; se o império português e o espanhol se alastraram quase por todo o planeta; se a França, se a Inglaterra têm tido a sua hora proeminente nos tempos que assinalam as etapas evolutivas do mundo, o Brasil terá também o seu grande momento, no relógio que marca os dias da evolução da humanidade.

Se outros povos atestaram o progresso, pelas expressões materializadas e transitórias, o Brasil terá a sua expressão imortal na vida do espírito, representando a fonte de um pensamento novo, sem as ideologias de separatividade, e inundando todos os campos das atividades humanas com uma nova luz. Eis, em síntese, o porquê da nossa atuação, nesse sentido. [...] Peçamos a Deus que inspire os homens públicos, atualmente no leme da Pátria do Cruzeiro, e que, nesta hora amarga em que se verifica a inversão de quase todos os valores morais, no seio das oficinas humanas, saibam eles colocar muito alto a magnitude dos seus precípuos deveres. E a vós, meus filhos, que Deus vos fortaleça e abençoe, sustentando-vos nas lutas depuradoras da vida material.” (2) 

A Pátria do Evangelho

Também para nosso lenitivo, a obra(3) registra a atuação direta e magnânima do Cristo na construção dos alicerces espirituais do Brasil:

"Jesus, [...] confiante [...] na proteção de seu Pai, não hesita em dizer com a certeza e a alegria que traz em si: 

- Helil, [...] a região do Cruzeiro, onde se realizará a epopéia do meu Evangelho, estará, antes de tudo, ligada eternamente ao meu coração. As injunções políticas terão nela atividades secundárias, porque, acima de todas as coisas, em seu solo santificado e exuberante estará o sinal da fraternidade universal, unindo todos os espíritos. Sobre a sua volumosa extensão pairará constantemente o signo da minha assistência compassiva e a mão prestigiosa e potentíssima de Deus pousará sobre a terra de minha cruz, com infinita misericórdia. As potências imperialistas da Terra esbarrarão sempre nas suas claridades divinas e nas suas ciclópicas realizações. Antes de o estar ao dos homens, é ao meu coração que ela se encontra ligada para sempre."

Grandeza Imperecível

Por fim, deixamos à meditação de quantos compartilhem estas linhas, a exortação(4) do Espírito Humberto de Campos:

“[...] — Brasileiros, [...] consideremos o valor espiritual do nosso grande destino! Engrandeçamos a pátria no cumprimento do dever pela ordem, e traduzamos a nossa dedicação mediante o trabalho honesto pela sua grandeza! Consideremos, acima de tudo, que todas as suas realizações hão de merecer a luminosa sanção de Jesus, antes de se fixarem nos bastidores do poder transitório e precário dos homens! Nos dias de provação, como nas horas de venturas, estejamos irmanados numa doce aliança de fraternidade e paz indestrutível, dentro da qual deveremos esperar as claridades do futuro. Não nos compete estacionar, em nenhuma circunstância, e sim marchar, sempre, com a educação e com a fé realizadora, ao encontro do Brasil, na sua admirável espiritualidade e na sua grandeza imperecível! " 

Confiemos, assim, na Proteção Maior do nosso Mestre Jesus, cujo Coração Compassivo ampara, das elevadas regiões da Espiritualidade, o nosso querido Brasil!
*  *  *
(1) - Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Humberto de Campos,
cuja 1ª edição data de 1938. Para este artigo, utilizamos a 22ª ed.1996. FEB. Rio..
(2) - "Prefácio", assinado pelo Espírito Emmanuel.
(3) - Capítulo II  - "A Pátria do Evangelho" -  pág. 32..
(4) - “Esclarecendo”- pág. 113.
Imagem: www.google.com . Acesso em: 22/set/2010.
Atualização: 25/outubro/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário