sexta-feira, 4 de junho de 2010

ANJO FULGURANTE


Francisco de Assis Daher Pirola*

Anseias luminoso Porvir de Alma que é Luz?
Não fujas à dor que o lenho traz,
Persevera na Fé que ora e faz,
Suporta, com esperança, o peso da tua Cruz.

Tens ideia dos sóis que os céus revelam?
Do fulgor que na imensidão te espera?
Trabalha, pois, que a colheita é vera,
Abençoando o labor daqueles que por ela velam.

Saibas, Alma querida,
Que os desvãos desta Vida,
São, para os que sofrem, consolo Mais Além.

Se buscas, então, o Anjo que fulgura,
Rasga tua veste escura,
Faze Luz também!
*  *  *
* (Jacaraípe - Serra-ES - abril/2010.)
(Foto: http://www.google.com.br . Acesso em: 20/maio/2010.)

Um comentário:

  1. Muito lindo o poema, principalmente a última parte.

    Gostei também daquela imagem parecendo tela de quadro, ficou leve e bem adequada para o blog.

    Beijos,

    Nazareth

    ResponderExcluir